Affiliate Marketing: The Ultimate Free Guide

Marketing de afiliados: The Ultimate (Free) Guide


Atualizado em 28 de abril de 2018

O marketing da filial é uma maneira comum de as pessoas ganharem dinheiro online. Para mim, o marketing de afiliados é o meu maior fluxo de renda. É também meu favorito fluxo de renda porque me dá mais liberdade e flexibilidade. Eu escrevi repetidamente sobre marketing afiliado no passado. Este post coloca tudo em um só lugar.

Este post contém links de afiliados, ou seja, sem nenhum custo adicional para você, se você clicar e fizer uma compra, eu posso receber uma comissão.

Tópicos que abordaremos neste guia:

Capítulo 1: Marketing de afiliados para iniciantes
Capítulo 2: Os prós e contras do marketing de afiliados
Capítulo 3: Como os comerciantes da filial ganham dinheiro?
Capítulo 4: Como você se torna um afiliado feirante?
Capítulo 5: Como você escolhe produtos afiliados para promover?
Capítulo 6: Como você participa de programas afiliados?
Capítulo 7: Dicas para usar links afiliados
Capítulo 8: Mitos e erros no marketing de afiliados
Capítulo 9: Como maximizar os ganhos da filial

Capítulo 1: Marketing de afiliados para iniciantes

Capítulo 1: Marketing de afiliados para iniciantes

Se você é novato em marketing afiliado, acha o nome intimidador ou não consegue envolver seu cérebro em torno do conceito, este capítulo é para você!

Mas as primeiras coisas primeiro …

O marketing da filial é sobre ganhar dinheiro. Sempre que você ganhar dinheiro on-line (por meio de anúncios, cursos, e-books, postagens patrocinadas, etc.) ou off-line, haverá a venda envolvida. Você também é:

  1. Vendendo suas próprias coisas.
  2. Vendendo / promovendo o material de outra pessoa e sendo pago por isso.

O marketing da filial cai no segundo.

O que é marketing afiliado?

O marketing de afiliados está recomendando um produto ou serviço para pessoas que você conhece e ganhando uma comissão quando a compra (ou completando alguma outra ação associada a ela).

Como funciona o marketing de afiliados? 3 etapas básicas:

  1. Você recomenda um produto ou serviço para seus seguidores ou pessoas que você conhece.
  2. Algumas dessas pessoas compram o produto ou serviço com base na sua recomendação.
  3. Você recebe uma comissão por essas vendas.

Um exemplo de marketing afiliado

Digamos que eu tenha um blog sobre projetos de melhorias na casa. E digamos que costumo falar sobre meu exercício favorito.

Eu posso fazer parceria com a empresa que vende essa broca como afiliado. Eles me fornecerão um link especial para a broca marcada com o meu próprio e único código de afiliado. Toda vez que eu uso esse link em uma postagem de blog e alguém clica nele, meu ID de parceiro segue-o por um tempo. Se eles comprarem a broca naquele tempo, eu vou ganhar uma comissão.

Quem está envolvido em marketing afiliado?

Existem 3 principais partes envolvidas no marketing de afiliados. Cada um tem vários nomes:

  1. Anunciante / Comerciante / Vendedor – Uma empresa ou um indivíduo que vende um produto ou serviço.
  2. Publicador / Afiliado / Afiliado Comercializado / Associado / Parceiro – Eles divulgam e divulgam o produto ou serviço. (Neste post, vou estar falando sobre marketing afiliado a partir da perspectiva do editor.)
  3. Cliente / Consumidor – Eles estão comprando o produto ou serviço.

Vamos diagramar isso.

Cada círculo representa um jogador principal. Afiliados estão no meio:

O afiliado faz parceria com o anunciante e promove ao cliente

Você (1) faz parceria com o anunciante e (2) promove seus produtos para o cliente (que é o mesmo que seu público-alvo):

O afiliado promove para o público-alvo

Idealmente, (3) o cliente compra o produto com base na sua recomendação. Como afiliado, (4) o anunciante paga a você uma porcentagem dessa venda (comissão):

O cliente compra o produto e o anunciante paga o affiilateFaz sentido?

Mas espere, tem mais …

Às vezes, existem tecnicamente 4 partes envolvidas. A quarta parte é uma rede afiliada que se encaixa assim:

Onde uma rede afiliada se encaixa no marketing afiliado

O que é uma rede de afiliados?

As redes afiliadas são uma ligação entre anunciantes e editores. Eles gerenciam os programas de afiliados para vários anunciantes de uma só vez.

Se você fizer parceria com um anunciante que usa uma rede afiliada para executar o programa de afiliados, suas interações serão realizadas por meio da rede de afiliados, não diretamente com o anunciante. Isso inclui inscrever-se no programa, encontrar seus links de afiliados exclusivos, acompanhar suas vendas e receber pagamentos.

Nem todos os anunciantes usam uma rede afiliada. Alguns anunciantes executam seus próprios programas afiliados.

Existem muitas redes afiliadas. Muitos são fáceis de participar. Alguns exigem que você se inscreva e aguarde a aprovação. Alguns são apenas por convite. Diferentes redes de afiliados fornecem produtos diferentes, então você vai querer encontrar o (s) que melhor se adequa a você.

Como você sabe quando um anunciante usa uma rede afiliada?

Primeiro, não deixe essa pergunta lhe preocupar. É realmente de pouca importância no grande esquema das coisas. Na verdade, é uma questão menor no processo abaixo. Ainda assim, percebo que pode ser um pouco confuso, então vou abordar isso aqui.

Às vezes, você descobre que um anunciante usa uma rede de afiliados quando se inscreve diretamente em um programa de afiliados. Por exemplo, se você quiser se tornar um afiliado dos temas Genesis WordPress, pode ir ao site do StudioPress (o StudioPress cria o Genesis) e clicar no link "Afiliados" no rodapé da seguinte forma:

Link afiliados do FootPress StudioPress

Ao fazer isso, você verá que eles executam o programa de afiliados por meio do ShareASale (uma rede de afiliados popular). Assim, para poder recomendar o Genesis ao seu público, você se inscreverá primeiro no ShareASale. Em seguida, você pode se inscrever no programa de afiliados do StudioPress em seu painel ShareASale.

Às vezes, você descobre que um anunciante usa uma rede de afiliados quando você está navegando na lista de anunciantes da sua rede de afiliados. Por exemplo, posso estar conectado ao ShareASale e fazer uma pesquisa por "Comerciantes" (termo usado por anunciantes) na categoria Casa e Jardim. Quando vejo, vejo que a Wayfair executa seu programa de afiliados via ShareASale._

Quais são os benefícios das redes afiliadas?

As redes de afiliados são boas para os anunciantes porque os anunciantes não precisam executar um programa de afiliados por conta própria.

As redes afiliadas são boas para os editores porque os editores podem encontrar, se inscrever e gerenciar vários programas afiliados sob um único guarda-chuva (a rede afiliada). Além disso, as empresas geralmente são monitoradas pela rede, o que dá tranquilidade aos afiliados.

As redes afiliadas são boas para as redes de afiliados porque, como intermediários, elas obtêm um pedaço do bolo de lucro.

Capítulo 2: Os prós e contras do marketing de afiliados

Capítulo 2: Os prós e contras do marketing de afiliados

Para mim, os profissionais do marketing afiliado superam os contras. No entanto, o marketing da filial ainda tem contras. Você tem que decidir se é certo para você.

Prós de marketing afiliado

Você não precisa criar o produto. Deixe alguém fazer a parte difícil e demorada!

Baixo incômodo / responsabilidade. Como afiliado, você não precisa lidar com inventário, atendimento ao cliente, infraestrutura, envio, devoluções, acompanhamento, etc. Todos são de responsabilidade do anunciante.

Liberdade e flexibilidade. Porque o vendedor está fazendo o trabalho pesado de criação, atendimento ao cliente, etc., os afiliados têm mais tempo para se concentrar no que querem fazer, enquanto ainda ganham dinheiro em segundo plano.

Venda difícil limitada. Se você é parceiro dos anunciantes certos, seu trabalho é simplesmente indicar clientes em potencial para eles. Eles fazem a venda difícil. Isso é ótimo para aqueles que não gostam de vender ou querem minimizar os problemas de sua reputação por serem agressivos ou vendedores.

Comissões elevadas. Alguns programas afiliados (não todos) oferecem altas comissões. Produtos digitais, por exemplo, costumam ter taxas de comissão próximas a 50%. Isso é loucura quando você pensa sobre isso!

Alguns dos produtos digitais que eu promovo custam aos fabricantes muito de tempo e dinheiro para produzir o conteúdo, hospedá-lo, mantê-lo atualizado, fornecer atendimento contínuo ao cliente, gerenciar grupos ativos do Facebook, lidar com clientes insatisfeitos, etc. Enquanto isso, eu não tenho que lidar com nada disso, e ainda assim ainda recebo quase 50% de todas as vendas que passam por mim.

Vencer vence-ganha. O anunciante ganha porque só paga quando é feita uma compra (em oposição à abordagem de pagar para anunciar para as massas e esperar por uma pequena porcentagem para realmente comprar). O afiliado ganha porque ganha dinheiro enquanto fornece conselhos úteis. O cliente ganha porque obtém uma recomendação confiável para algo que talvez não conhecesse.

Barreira baixa à entrada. Muitos programas de marketing afiliado são fáceis e rápidos de participar.

Baixo risco. Feito corretamente, você perderá muito pouco se o marketing de afiliados não der certo para você.

Baixa manutenção. Você pode compartilhar um link de afiliado uma vez (em um post, em um vídeo, etc.) e ganhar comissões repetidamente, dias, semanas, meses e anos depois.

Pouco ou nenhum custo para começar. Não custa nada participar de programas de marketing de afiliados.

Excelente potencial de rendimento Com a estratégia certa, o potencial de renda é enorme.

Muita escolha. Programas afiliados são abundantes. É raro encontrar um produto sem um programa de afiliados anexado. Eu apostaria, neste minuto, você está cercado de vários produtos que você usa e ama. Você poderia facilmente ganhar dinheiro com eles como afiliado.

Contras de marketing afiliado

Leva tempo para construir confiança. Embora seja fácil se tornar um afiliado, você não ganhará dinheiro sem um público que confie em você primeiro. Construir confiança leva tempo. Dessa forma, é preciso muita paciência na frente.

Leva tempo para ganhar tráfego e assinantes. O marketing de afiliados é muito mais lucrativo se você tiver muito tráfego e / ou muitos assinantes de e-mail. Construí-los leva tempo.

Você não controla a experiência. Depois de fazer uma referência, você não tem controle sobre a experiência do público. Se eles tiverem uma experiência ruim com um anunciante, isso pode refletir mal em você.

Você não controla o produto ou serviço. Assim como você não controla a experiência de seu público com um anunciante, você não controla o produto ou serviço em si. Se eles não gostam do produto, ele pode refletir mal em você também.

Comissões perdidas. Dependendo de como um anunciante rastreia o caminho de um cliente de referência para compra, é possível que sua promoção não leve à sua comissão, mas ao de outra pessoa.

Perseguindo os anunciantes. Às vezes, os anunciantes não acompanham os pagamentos. Nesse caso, você tem que acompanhar se você deseja receber o pagamento. Isso não acontece com frequência, mas ainda é um pequeno risco.

Difícil de se destacar. Alguns programas afiliados têm muitos afiliados. Se houver uma promoção em andamento, pode ser difícil se separar das outras afiliadas para que as pessoas comprem através de você e não de outras.

Fadiga do público. Se vários afiliados compartilharem o mesmo público e todos os afiliados estiverem promovendo a mesma coisa ao mesmo tempo, esse público poderá ser inundado com promoções. Isso pode ser chato para o seu público. Espero que você não seja o afiliado que "quebra as costas do camelo" e faz um cliente checar completamente.

Você não recebe informações do comprador para usar depois. As informações de um comprador são extremamente valiosas, mas, nesse caso, o anunciante consegue mantê-lo e você nunca o vê. O anunciante pode lançar produtos ou serviços para esse comprador por meses ou anos, potencialmente fazendo muito mais dinheiro a longo prazo.

Restrições e consequências. Muitos programas afiliados têm termos e condições notoriamente vagos (estou olhando para você na Amazon) e, no entanto, os editores são sempre responsáveis ​​por conhecê-los e segui-los. Se você não o fizer, poderá ser expulso de um programa sem avisar, o que obviamente pode prejudicar sua lucratividade.

Capítulo 3: Como os profissionais de marketing afiliados ganham dinheiro

Capítulo 3: Como os comerciantes da filial ganham dinheiro?

Diferentes programas afiliados recompensam seus afiliados de maneiras diferentes. Alguns deles estão intimamente relacionados ou se sobrepõem:

Comissão. Uma comissão (ou seja, porcentagem do preço de compra) é comum.

Pague por ação. Às vezes, os afiliados são pagos quando um cliente conclui uma ação específica. Por exemplo, talvez uma empresa pague a você toda vez que alguém se inscrever em sua lista de e-mail. Ou talvez você seja pago toda vez que alguém imprimir um cupom pelo link.

Taxa fixa. Isso é semelhante ao pagamento por ação. Por exemplo, o Ebates paga uma taxa fixa por inscrição. (Por isso eu amo o Ebates.)

Recompensas. Uma recompensa é semelhante a uma taxa fixa, o que significa que um afiliado é pago por todos os clientes que enviam para o site de um anunciante.

Prêmios Às vezes, os programas de afiliados adicionam benefícios e vantagens, como prêmios (itens físicos ou dinheiro) aos afiliados que apresentam o melhor desempenho em uma promoção específica.

Crédito. Alguns programas afiliados compensam os afiliados na forma de crédito na loja.

2º nível. Se você for um afiliado de um determinado programa e indicar outros para se inscrever nesse programa de afiliados, um programa de segundo nível pagará quando as afiliadas indicadas fizerem vendas. Por exemplo, eu sou um afiliado do Ultimate Bundles. Se você se inscrever no programa de afiliados por meio do meu link de afiliado de segunda linha aqui. Receberei uma pequena porcentagem de todas as vendas que você fizer daqui para frente.

Você pode realmente ganhar dinheiro com marketing afiliado?

Sim.

O marketing de afiliados é legítimo?

Sim absolutamente.

Dito isto, programas diferentes têm regras e requisitos diferentes que devem ser seguidos.

Quanto dinheiro você pode ganhar com o marketing de afiliados?

Os comerciantes da filial fazem uma ampla gama de renda, de um par de dólares por mês para cinco e seis números por mês (Pat Flynn de Smart Passive Income é um exemplo da extremidade superior).

O rendimento depende de coisas como a qualidade do seu conteúdo, a quantidade de confiança que você tem com o seu público, estratégias inteligentes de marketing e o tamanho do seu público.

Quais são as taxas típicas de comissões de marketing de afiliados?

As taxas de comissão variam muito dependendo do programa de afiliados. A Amazon Associates, por exemplo, paga uma pequena porcentagem de vendas (apenas alguns por cento). Alguns programas afiliados (especialmente produtos digitais) pagam quase 50%.

Como Os afiliados são pagos?

Varia de programa para programa. Quando é hora de você receber o pagamento, os métodos comuns de pagamento são depósito direto, PayPal, cheque físico no correio, crédito da empresa e recompensas resgatáveis, como Swagbucks.

Com que frequência os afiliados são pagos?

Mais uma vez, isso varia. A maioria dos programas afiliados paga mensalmente, mas alguns pagam semanalmente ou trimestralmente.

Esteja ciente de que geralmente há um tempo de espera antes de você ver o dinheiro. Isso responde por retornos e processamento.

Por exemplo, se alguém usar meu link de afiliado para começar um blog hoje, levará de quatro a seis semanas para que eu o veja.

Se não for óbvio quanto tempo você esperará antes de ver seu pagamento, entre em contato com o gerente do programa de afiliados.

O que é um limite de pagamento?

Alguns programas afiliados exigem que você ganhe uma quantia mínima (limite) em comissão antes de enviar seu pagamento.

Por exemplo, alguns programas têm um limite de US $ 50, ou seja, as comissões que você fizer não serão pagas até que você tenha ganhado o suficiente para ultrapassar a marca de US $ 50.

Em outras palavras, se você está ganhando apenas alguns dólares por venda, talvez tenha que esperar um pouco antes de receber o pagamento.

Como você acompanha tudo que é devido?

Se parece que o marketing de afiliação consiste em receber um monte de pequenos pagamentos em vários momentos e de várias formas, é verdade.

Quanto mais programas afiliados você aderir, mais longa será a lista de coisas a serem rastreadas. Os afiliados lidam com isso de maneira diferente. Alguns mantêm guias muito próximos sobre tudo o que ganham em cada programa de afiliados. Outros simplesmente confiam nos pagamentos para chegarem como deveriam.

No meu caso, acompanho de perto os programas que trazem grandes parcelas de renda. Eu não me preocupo tanto com os outros.

Capítulo 4: Como você se torna um afiliado feirante?

Capítulo 4: Como você se torna um afiliado feirante?

É muito simples se tornar um afiliado. Não há certificações, graus ou treinamentos necessários. Você não precisa pagar nenhuma taxa.

Basicamente, você decide que quer fazer e depois faz.

Participe de programas afiliados, obtenha seus links de afiliados e compartilhe-os com outras pessoas. É realmente simples assim, embora definitivamente exista um jeito certo de fazer isso e de uma maneira errada.

A melhor maneira de fazer marketing afiliado

Crie um excelente conteúdo onde outros possam lê-lo. Um blog ou uma newsletter por email são os melhores. Forneça informações realmente valiosas que visam ajudando seus leitores.

Publique regularmente. Consistência mantém as pessoas interessadas e engajadas.

Primeiro, não promova produtos afiliados. Concentre-se em provar sua confiabilidade, utilidade e conhecimento.

Depois de ganhar confiança, comece a promover lentamente as coisas que você usa e adora.

Essa estratégia é chamada de marketing de conteúdo e é a melhor maneira de ser um profissional de marketing de sucesso.

Coisas que você precisa para iniciar o marketing de afiliados

Uma maneira de se comunicar com as pessoas (como um blog, não mídia social). Às vezes isso é chamado de plataforma. Pode ser um blog, um site, uma lista de e-mail ou alguma outra presença on-line onde as pessoas ouvem o que você tem a dizer.

Eu não recomendo o uso de mídias sociais para sua plataforma principal. Por que não as mídias sociais? É arriscado porque você não controla YouTube, Facebook, Pinterest, Twitter e outros sites de mídia social. E eles podem mudar as regras a qualquer momento.

Claro que você pode usar as mídias sociais (e você deveria!), Mas complementar com isso não se concentre nele.

Relacionados: Como decidir o que sobre o blog

Conteúdo de alta qualidade. As pessoas não gostam de ser promovidas constantemente. Difamar o público com promoções de afiliados sem parar não o levará a lugar nenhum.

Profissionais de marketing afiliados de sucesso produzem conteúdo útil para ajudar seu público a resolver problemas reais. Eventualmente, você pode começar a recomendar produtos naturalmente.

Uma audiência. Quem é seu público? “Todos” é uma resposta ruim. Você tem que nicho, ou seja, segmentar um pequeno grupo de pessoas. Talvez eles sejam pais para crianças. Talvez eles sejam donos de cafés. Talvez eles sejam pescadores. Talvez eles sejam estudantes de enfermagem.

Seu público ideal é aquele que você conhece bem, seja porque você se encaixa nisso ou porque tem respostas para problemas que eles geralmente enfrentam.

Por exemplo, meu público é composto de pessoas que querem começar um blog e ganhar dinheiro on-line, mas têm tempo, orçamento e know-how técnicos limitados. Eu posso falar com esse público porque era eu quando eu comecei 14 anos atrás!

A confiança do seu público. Isso não pode ser exagerado. O marketing da filial é tudo sobre confiança. Quando alguém em quem você confia recomenda um produto, você ouve. Não tanto quando um estranho faz. (Na verdade, se você é como eu, isso muitas vezes deixa você cético.)

Seja confiável e sincero em tudo que você faz online. Isto irá estabelecer as bases para um marketing de afiliados eficaz. Você não terá renda sustentável se não tiver a confiança do seu público.

Links afiliados para compartilhar. Depois de comprovar ser uma fonte confiável de informações sobre tópicos importantes para seu público, você pode começar a recomendar produtos ou serviços afiliados a eles. Isso envolve a aplicação em programas afiliados e o compartilhamento de links de afiliados exclusivos para os produtos que você promove (mais abaixo).

Você precisa de um blog para marketing afiliado?

Tecnicamente não, embora na minha opinião, seja o veículo mais conveniente para o marketing de afiliados. Por quê? Porque é um local perfeito para manter todo o seu conteúdo e não está sujeito aos caprichos dos algoritmos de mídia social. Além disso, está disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana, para que qualquer pessoa possa encontrá-lo a qualquer momento.

Começar um blog é surpreendentemente rápido e barato.

Você precisa de uma lista de e-mail para marketing de afiliados?

Mais uma vez, tecnicamente não, mas eu recomendo fortemente.

Você irá melhorar muito suas chances de ter uma boa renda como afiliado, se usar o maior número possível de veículos de comunicação disponíveis. E-mail é um dos veículos de comunicação mais eficazes que existe. Ainda mais do que o seu blog ou site.

Aqui está o meu conselho …

Comece com um blog, onde seu conteúdo está sempre disponível. Por si só, uma lista de e-mail pode ser difícil de iniciar se não houver um lugar (como seu blog ou website) onde os possíveis inscritos possam conhecê-lo primeiro.

Em seguida, adicione uma lista de e-mail que lhe dá uma oportunidade fantástica de se comunicar com as pessoas em seus próprios termos. Ou seja, você não precisa esperar que eles acessem seu blog ou website. Você pode ir direto para as caixas de entrada deles. Relacionado: Email Marketing 101.

Por fim, use as mídias sociais em seus esforços de marketing de afiliados para complementar o que você já faz no seu blog e no e-mail.

Você precisa de muito tráfego para marketing afiliado?

Não, nem sempre, mas ajuda tremendamente. Mais tráfego significa mais globos oculares e, portanto, mais pessoas que potencialmente comprarão o (s) produto (s) que você promove.

No entanto, você ainda pode ganhar dinheiro como afiliado, mesmo se não tiver toneladas de tráfego. Eu tenho uma fração do tráfego que muitos afiliados têm e ainda assim minha renda rivaliza e em alguns casos excede a deles.

Advertência: alguns programas afiliados preferem uma certa quantidade de tráfego antes de aceitá-lo em seu programa de afiliados. Obviamente, nesses casos, seus números de tráfego são fundamentais.

O importante é que os números de tráfego baixo não permitem que você explore o marketing de afiliados!

Capítulo 5: Como escolho produtos afiliados para promover?

Capítulo 5: Como você escolhe produtos afiliados para promover?

Recomende produtos afiliados que sejam relevantes e se encaixem naturalmente em seu conteúdo.

Por exemplo, se você rotineiramente fala sobre grelhar carne, recomendar o seu favorito faca de açougueiro é provavelmente um ajuste natural. Se, no entanto, você fala sobre paisagismo, sua faca de açougueiro favorita provavelmente não é um ajuste natural.

Depois de pensar em um produto para promover, faça as seguintes perguntas para determinar se é um bom ajuste:

  • Eu tenho experiência legítima com este produto? Se você não passar, passe. Não estar familiarizado com um produto que você promove é arriscado por dois motivos. Primeiro, se for um fracasso, a confiança que você criou com seu público está prejudicada. Em segundo lugar, se o seu público tiver dúvidas sobre isso, você não saberá como responder.
  • Eu recomendaria este produto para minha mãe ou melhor amigo? É tentador recomendar algo quando há uma comissão em anexo. Mas você incentivaria sua mãe ou melhor amigo a gastar seu tempo e dinheiro com essa coisa? Seja honesto.
  • Meu público-alvo vai comprar esse produto realisticamente? Coloque-se no lugar do seu público. O que eles estão mais propensos a comprar? Se o seu blog é principalmente sobre a vida frugal, os seus leitores provavelmente não vão comprar produtos de luxo, por isso, promover roupas de alta qualidade pode não funcionar tão bem.
  • Meu público-alvo gastará esse valor realisticamente para o produto? Mais uma vez, sua reputação está em jogo aqui. O produto que você está pensando em promover tem um preço razoável para o seu público? Quando eu estava escrevendo meu ebook, eu estava preso em preços. Eu pedi opiniões. Um número de pessoas sugeriu que eu precisasse do meu ebook em $ 47! Sua ideia era precificar de acordo com o valor, não com o tamanho. Na minha opinião, isso era loucura. Minha rede era composta de muitos blogueiros que ficavam em casa, e meu público coletivo era composto principalmente de pessoas sem muita renda disponível. Não havia como alguém pagar US $ 47 pelo meu e-book de 30 páginas.
  • Será que meu público-alvo realisticamente comprará isso agora ou em um horário diferente? Seja sensível aos ciclos de vendas e temporadas. Talvez você deva evitar feriados (quando as pessoas estão longe de seus computadores, como 4 de julho nos EUA) ou talvez você deva segmentar feriados (como no dia seguinte ao Dia de Ação de Graças), mas saiba a diferença. Mais uma vez, conheça seu público. Planeje seu conteúdo de acordo.

Você não quer promover coisas não relacionadas ao conteúdo que seu público-alvo está acostumado a receber de você. É chocante e pode diminuir sua confiança em você. E sem confiança, sua renda afiliada secará.

De onde você tira idéias para promover os produtos afiliados?

Muitas pessoas pensam demais nisso. Comece com o que está bem à sua frente e ramifique-se a partir daí.

Existem 3 lugares para obter ideias:

  1. Você mesmo
  2. Seus leitores
  3. Outros em seu nicho

Vamos cobrir cada um em profundidade …

Como obter ideias de produtos de marketing de afiliados

Promova produtos que você já usa. Que coisas você usa e ama? Mantenha uma lista. Encontre o programa de afiliados para eles. Claro, nunca escreva sobre um produto ou serviço que você ama sem se tornar um afiliado para isso primeiro!

Por exemplo, quando comecei a ensinar aos outros como iniciar seus próprios blogs em 2010, não era difícil recomendar a empresa de hospedagem que eu já estava usando. Eu me tornei um afiliado e fiz milhares de dólares desde então.

Você é um blogueiro de comida? Qual é a sua panela favorita? Crie conteúdo sobre isso. Blogueiro de artesanato? Qual é a sua ferramenta de criação favorita? Crie conteúdo sobre isso. Blogger de fotografia? Que câmera e lentes você usa? Crie conteúdo sobre eles.

Às vezes, isso é tão simples quanto pegar papel e caneta e andar pela casa, procurando coisas que você usa e ama. Ou veja o histórico de compras / pedidos da Amazon e de outros varejistas.

Todo produto ou serviço que você usa e adora provavelmente tem um programa de afiliados anexado a ele.

Revise o conteúdo existente. Você já mencionou um produto no passado que você usa? Talvez você nem tenha pensado nisso na época, mas existe um programa de afiliados para isso? Descubra (apenas google "programa de afiliados produto / empresa" como "Programa de afiliados da Target") e atualize esse conteúdo com o seu link de afiliado.

Se você é um blogueiro, comece analisando suas análises e encontre suas postagens mais populares. No Google Analytics (GA), você pode encontrar essas páginas acessando o Painel do GA> Comportamento> Conteúdo do site> Todas as páginas. Examine os que estão no topo da lista que geram mais tráfego. Existem produtos ou serviços afiliados que você pode incluir naturalmente neles?

Promova produtos relevantes para o seu nicho. Seja um estudante do seu nicho. Ouça o que os outros falam. Observe os problemas que as pessoas têm ou os buracos que precisam ser preenchidos. Encontre produtos que ajudem. Compre-os. Usa-os. Recomende o melhor.

Se seu site é sobre livros infantis e você promove seguro de carro, na melhor das hipóteses você vai parecer que não sabe o que está fazendo. Na pior das hipóteses, você será marcado como spammer. Uma vez que você desenvolva uma má reputação como spammer ou um tipo de comerciante afiliado, é incrivelmente difícil voltar atrás.

Comece com altos padrões e você ficará bem. Simplificando, promover coisas ruins faz você parecer mal e vai te machucar a longo prazo.

Como obter ideias de produtos de marketing de afiliados de seus leitores

Escolha produtos que ajudem seu público a resolver um problema ou resolva um medo. Estes são excelentes produtos para promover, uma vez que os leitores estão frequentemente dispostos a gastar dinheiro com eles.

Pergunte a eles. O que seu público quer? Fique atento interagindo com eles nas redes sociais, nos comentários de blogs / vídeos, nos Grupos do Facebook ou fazendo uma pesquisa.

Verifique suas estatísticas. Verifique seu Google Analytics quanto a dados demográficos do público, afinidades etc.

Como obter ideias de produtos de marketing de afiliados de outras pessoas no seu nicho

Assista-os Como são outros criadores de conteúdo em seu nicho utilizando publicidade? Quais tipos de anúncios eles usam? O que eles estão promovendo? Sobre o que eles falam repetidamente (se você continuar vendo o mesmo produto da filial aparecer de novo e de novo, há uma boa chance de eles estarem lucrando com isso)? Se você vir um produto ou serviço sobre o qual ele fala e que pode promovê-lo eticamente, encontre informações sobre afiliados pelos métodos descritos acima.

Pergunte por aí. Na minha experiência, se você estabelecer um bom relacionamento com outros criadores de conteúdo (e especialmente se você está dando mais do que você está tendo nesse relacionamento), ao longo do tempo, a maioria está mais disposta a compartilhar dicas e dicas sobre o que tem ou não trabalhou para eles. Um grupo idealizador também é um ótimo lugar para se ter ideias.

Siga as hashtags de afiliados. Hashtags como #affiliate e #ad são comumente usados ​​em mídias sociais quando alguém está promovendo um produto afiliado. Siga ou pesquise essas hashtags no Instagram, Twitter e Pinterest (e às vezes no Facebook) para ver o que os outros estão promovendo.

Como você se junta a programas afiliados?

Capítulo 6: Como você participa de programas afiliados?

Primeiro, entenda a diferença entre programas de afiliados individuais e redes de afiliados.

Você pode participar de uma rede de afiliados uma vez e ter acesso a muitos programas afiliados de muitas empresas de uma só vez.

Você pode participar de um programa de afiliados individual que é para uma única empresa.

Você não está limitado a um ou outro. Você pode fazer parte de várias redes de afiliados e programas de afiliados individuais ao mesmo tempo.

Como você encontra os aplicativos para redes / programas afiliados?

Existem várias maneiras de encontrar páginas de inscrição no programa de afiliados.

Web site de uma empresa. Pense em um produto ou serviço que você deseja promover. Vá para o site do referido produto. Procure um link (geralmente no rodapé) que diga “Afiliados”, “Programa de afiliados”, “Programa de indicação” ou algo semelhante. Siga os links para se inscrever.

Google isso. Pesquise termos como "programa de afiliados (empresa)". Por exemplo, "Programa de afiliados da Target" ou "Programa de afiliados da Amazon". Se a sua primeira pesquisa não apresentar nada, tente novamente. Não desista com muita facilidade. Às vezes, há pequenas variações no uso ou termos da palavra.

Pergunte a um amigo. Você conhece alguém que já é afiliado? Pergunte se eles podem conectá-lo a um contato na empresa.

Entre em contato diretamente com a empresa. Se você usa um produto ou serviço e deseja recomendá-lo, mas não consegue encontrar evidências de um programa de afiliados, considere abordá-los e perguntar se eles estão dispostos a configurar um (talvez com sua ajuda). Realce seu público e o valor de sua recomendação. Explique que um programa de afiliados simplesmente recompensa os clientes felizes (você!) Pela promoção e eles não precisam pagar até que uma venda seja feita.

Uma rede afiliada. Se você participar de uma rede afiliada como o ShareASale ou o CJ, poderá pesquisar ou navegar na lista de anunciantes / comerciantes.

Como você participa de uma rede afiliada?

Vá para a página principal de qualquer rede afiliada (veja uma lista abaixo) e siga os links para participar. Geralmente o processo é bem claro.

O que você precisa para participar de um programa de afiliados?

Sua informação de plataforma. A maioria dos programas exige que você descreva seu blog, site, lista de e-mail, etc.

Informação de impostos. Aqui nos EUA, muitas vezes você precisará preencher um formulário W-9 antes de receber o pagamento. Sugestão: mantenha um destes preenchido e prático para poder usá-lo repetidamente.

O que você deve procurar em um programa de afiliados?

Aqui estão algumas coisas a considerar ao aderir a programas afiliados. O que é importante para uma pessoa pode não ser importante para outra, mas essas são boas perguntas a serem feitas, no entanto:

Qual é o potencial de rendimento? Em geral, quanto maior a taxa de comissão, melhor. No entanto, um programa como o da Amazon Associates é tão comum e tão fácil de usar, geralmente vale a pena entrar.

Qual é o tamanho do cookie? A cookie is triggered when an audience member clicks through one of your affiliate links. It tracks their browsing activity and gives you credit for actions they take, like making a purchase or taking an action. The longer the cookie length the better.

What are the terms of the program? Is there anything I need to be aware of that would make a program not worth it for me. For example, Amazon Associates does not allow you to put your affiliate links in emails. If your main method of communication with your audience is via email, Amazon might not be a good fit for you. Wayfair, for example, does not allow their affiliates to post affiliate links on Pinterest or any other social media site. If that’s a strategy you rely on, Wayfair might not be a good fit for you.

Do they have a lot of products I could promote? Note that you can become an affiliate for large companies once, and then promote any of their products. For example, you can become an affiliate with Amazon (“Amazon Associate”) once and promote any of their products.

Do they have a lot of advertisers in my niche? This is for affiliate networks. If they manage the affiliate programs of a lot of advertisers or merchants you use, it’s a plus.

What kind of commission do they offer? One-time commissions or recurring commissions? For example, many programs pay you one time for sending a customer. On the other hand, some programs like membership sites or SaaS (software as a service) programs will pay you a commission as long as the person you referred is a paying customer. Recurring commissions are great when you can find them!

Do they work hard on their sales strategies? Look for companies with strong sales pages, funnels, incentives (like free, accompanying webinars) and launches. Elite Blog Academy does these things well.

Do they value and help their affiliates? Some affiliate programs do an exceptional job of communicating with their affiliates, notifying them of upcoming sales, offering marketing advice or tools, offering contents and prizes during promotions and more. These types of affiliate programs are a pleasure to be a part of. Ultimate Bundles is an excellent example.

Is the affiliate program user friendly? If a program has a poor interface or it’s hard to find affiliate links, maybe that program is not worth the hassle.

Do they have a good reputation among other affiliates? This is one reason why being involved with other affiliate marketers is valuable. If you haven’t heard of an affiliate program before, ask around.

Do they treat their customers well? If they have horrible customer service or if their products are not reliable, your target audience will find out the hard way. And if you are the one who recommended them, it’s a poor reflection on you. Search for company reviews.

What are the best affiliate programs to join?

There are muito of options. What’s best for you depends on your niche and the products you hope to promote. To know that, you’ll need to do a bit of research and ask among those in your niche.

The list below is by no means exhaustive, only a tiny sampling!

Still, here are some larger programs, as well as some programs I personally use and recommend. Some are individual programs and others are affiliate networks.

ShareASale. A large network offering things like Genesis (here’s why I use Genesis for my WordPress theme), Namecheap (where I register all my domain names), Tasty Pins (the Pinterest plugin for bloggers), Minted (invitations, calendars, gifts), eShakti (reasonably priced custom made clothes).

The Amazon Influencer Program. Allows you to have your own landing page on the Amazon website. Here’s what mine looks like. Hand pick items you want to showcase and your affiliate links will be automatically attached. Share the URL for your landing page with others (the only Amazon Associates link allowed in emails).

Amazon Associates. Who doesn’t love Amazon and the fact you can get almost anything there? This is an easy one to join.

Ebates. A cash rebate site (this is how I use it personally). Another easy one to promote, especially if your readers shop online.

Ultimate Bundles. Every year a huge bundle of products are released at a significantly reduced rate. These sales can be quite lucrative for affiliates. Click the link to see if any of the upcoming bundles are in your niche.

Creative Market. All kinds of digital creative products like fonts, graphics, icons, photos and logos are sold here.

iTunes. If you recommend apps, music or other iTunes products, check this one out.

Shopify. As people are selling more and more of their own products, Shopify is a great place for them to set up shop.

SendOwl. This is the platform I use to sell my digital products. It’s more lightweight than Shopify.

CJ (formerly Commission Junction). This is another large affiliate network similar to ShareASale.

Impact Radius. Advertisers in this network are Target and 99 Designs.

Rakuten Marketing (formerly LinkShare). There are a lot of different advertisers in this network like Raise.com.

In addition to the programs above, find the affiliate programs for these as they apply to you:

  • Courses you’ve taken & liked. Some of mine are Affiliate Acceleration: Impactful Strategies To Increase Your Passive Income,  Self Publishing 101 and Page Strategies (for building your Facebook Page).
  • Your email service provider (ESP). I use Mad Mimi (they retired their affiliate program a while ago).
  • Your blog host. I used Bluehost for a decade and recommend it to those just starting or on a budget. Now I use Synthesis (no affiliate program).
  • Your domain registrar. I use Namecheap.

How can you increase your chances of getting accepted to an affiliate program?

Know when to wait. Some affiliate programs require a certain level of traffic, subscribers, etc. If that’s the case, I say it’s better to wait to apply for that program instead of applying and hoping for the best. You risk being labelled the person who can’t follow guidelines and you might also risk not be allowed into the program when you do meet the qualifications.

Reach out to the affiliate manager. Most programs have at least one person tasked with managing affiliates. Don’t spam, don’t whine and don’t badger them, but make a personal connection with them if you can.

Always fill out the comment box to “sell” your platform. If you are given the opportunity to explain why you are interested in a program, do it! Use the space to highlight why you would be an asset to the program. Talk about how your audience is their audience. Talk about the size of your mailing list (if it’s significant). Talk about your success with similar programs. Talk about where and how you will promote (hopefully you’ve done a bit of research so you know what they’re hoping for). Don’t sound desperate and certainly don’t lie about anything, but be upfront and honest about how this will be a win for them.

Don’t be afraid to appeal or apply again. If you apply to a program but you don’t get accepted, see if there is an indication of when you can reapply. If you don’t see anything, email the affiliate manager and ask if you can apply again and if so, when would be the right time. Be respectful and kind in your email, not defensive.

Chapter 7: Tips for using affiliate links

Chapter 7: Tips for using affiliate links

When recommending an affiliate product, everything hinges on your affiliate link. If you don’t use your affiliate link, or you use the wrong one, you won’t be properly credited for any resulting sales and therefore won’t get paid.

How does an affiliate link work?

  1. You are given a unique link for the product or service you’re promoting. The link is tagged with your affiliate ID.
  2. You share the link with your audience or with people you know.
  3. Someone clicks the link to arrive at the site of the product or service.
  4. When they do, your affiliate ID is noted and tracked via a cookie.
  5. If they complete an action before that cookie expires (purchase, signup, etc.), you are credited.
  6. You are compensated accordingly.

How do you find your unique affiliate links?

The exact step-by-step process varies from program to program.

Most individual affiliate programs (as opposed to affiliate networks) have an affiliate dashboard or an affiliate portal where you can find information you need along with all your affiliate links.

For affiliate networks, once you are signed up, you can log into your account and see the available “Campaigns,” “Offers,” “Merchants,” or search the “Marketplace” for individual programs.

Sometimes you must go through a short application process and sometimes you are accepted immediately; it depends on the affiliate network and advertiser.

Once you are cleared to promote a particular product and you understand the terms for that campaign, look through the list of available graphic and text links for that product. Copy the HTML code provided. This code has your unique ID in it. Use this link whenever you link to the product.

How does a company know I sent someone to them?

Your affiliate link has a unique ID attached which tracks the clicks of your audience via cookies.

Where can you share affiliate links?

There are many places to share affiliate links, but before you do, always check the terms and conditions for affiliate programs. Some prohibit sharing your affiliate links in certain places (the obvious example is Amazon which does not allow affiliate links in emails).

And remember, always disclose antes your affiliate link! (More below.)

Here are ideas:

  • Blog posts
  • Link your images
  • Supply lists in DIY posts, for the reader’s quick reference
  • Sidebar
  • Footer
  • Thank you pages on your site
  • Emails
  • Spoken in video
  • Video descriptions
  • Live video (spoken or pasted into comments)
  • Spoken in podcasts
  • Show notes
  • Reviews
  • Side-by-side comparisons
  • Gift guides
  • Tutorials or how-to guides – Walk through the steps yourself and use images. Show your audience how you use the product / service or how they can get great results. Exemplo.
  • Social media – Make sure it’s allowed first. Then don’t forget to disclose before your link.
  • Webinars (in the chat)
  • Interview or Q&A of the creator / company
  • “Tools I Use” or “Things I Love” page – Many readers enjoy seeing a handy list of your favorites, plus it’s an easy and excellent way to highlight some affiliate links. Here’s mine. Refer to any posts you have written about that tool / resource or include a description of how it has helped you.
  • In your book or ebook (not allowed if you are selling on Kindle and some other programs)

Best practices for sharing affiliate links

Always disclose. You must let your readers know when you are using affiliate links. Read my post, Are You Disclosing Properly? for more. An image disclosure or general disclosure at the bottom of your site is not sufficient.

If you are an Amazon Associate, you must use Amazon’s pre-written disclosure, verbatim, found in #5 here.

The wording of your disclosure matters. On Facebook, for example, people avoid using the word “affiliate” because it doesn’t get things seen. However, Amazon will kick you out if you use wording that isn’t clear.

Pair affiliate links with pillar content when you can. Pillar posts, and the most trafficked posts on your site, should have as many affiliate posts as fit naturally.

Content with affiliate links trump those without. Share them often. Link them together whenever possible (related posts).

Don’t exhaust all the information about the product with your link. Offer enough information to your readers so they know what the link is, but I don’t recommend giving too much detail on your own site for a two reasons. First, product information, like price, often changes. If you mention the price on your site and someone clicks over and finds a different price, it’s confusing. Second, many times, the product details and features are better explained by the makers of the product. It’s best to stick to your own experience on your site.

Avoid resource heavy widgets and plugins. There are a lot of tools you can use to share affiliate links on your site, such as carousel widgets or dynamic images. I don’t recommend using these as they slow your site down. Stick to your basic HTML and use your own images when you can. Speaking of images…

Attach your affiliate link to images. In the age of sites like Instagram and Pinterest, users are accustomed to clicking images. Make sure any post images highlighting the product have your affiliate link attached. Here’s how to make an image clickable.

Keep track of affiliate links. Use a simple spreadsheet. I use Airtable. Some people use the PrettyLink plugin to keep track of their affiliate links. (I don’t use the PrettyLink plugin because I use as few plugins as possible and some affiliate programs prohibit it since it cloaks your affiliate links.)

Always make affiliate links nofollow. Google’s goal is to provide its users with the best possible search results to their search queries. One of the main ways they figure out which webpages are the best is through links. The Google bots crawl the web, reading text. When they come to a link, it’s like an open door. They follow the link (walk through the door) and explore the site you linked to.

When you link to another site in a blog post, Google generally assumes you’re giving that site a thumbs up if you link to it (why would you link to something you don’t like, right?). If enough people give a site a “thumb’s up” by linking to it, that webpage might rank higher in the search engine results pages (SERPs).

However, Google doesn’t want compensated relationships and ads to influence search results. That’s why they want those pages to be tagged nofollow. A nofollow tag tells the bots to not follow that link.

Make sure you make all your affiliate links (text or images) have the nofollow tag. Here’s how to add the nofollow tag to your links. (There are plugins that do this, but given my general aversion to plugins, I prefer to add the tag manually. It’s easy.)

Think before posting a mostly negative review. There have been many discussions among bloggers about whether you should post a negative review or not.

I’m all for honesty and strongly believe you should share both the positives and negatives of any product you promote.

If my review was going to be mostly negative, I would first contact the company and let them know. Maybe they can fix it or maybe you can skip the review altogether. No use burning bridges.

Include your affiliate link naturally but clear. Using the same anchor text over and over again is not only unnatural, it can come off as spammy.

Chapter 8: Affiliate marketing myths & mistakes

Chapter 8: Affiliate marketing myths & mistakes

Once you understand the concept, affiliate marketing is not difficult to implement. However, there are common myths that get passed around and mistakes that get made.

Myths people believe about affiliate marketing

Myth #1: Amazon Associates is open to only certain US states. This used to be true, but as of 2017, you can be an Amazon Associate regardless of the state you live in.

Myth #2: You can’t use affiliate links in Mad Mimi or MailChimp. Isso não é verdade. I’ve used Mad Mimi since 2013 and have included affiliate links in my emails almost every single week since. Note how MailChimp explains it here. You can’t be spammy, but if you’re just using affiliate links, you should be fine.

Myth #3: Affiliate marketing is passive income. Affiliate marketing approaches passive income, but only once you’ve put in a great deal of work on the front end. If you take the time to build trust among your audience, there does come a point when affiliate marketing becomes almost passive.

Myth #4: You can make money quick with affiliate marketing. It’s true, you can get set up as an affiliate marketer in little time, but if you want to make good money as an affiliate marketer it’s going to take a while to build the relationships necessary to sustain it.

Mistakes affiliate marketers make

Mistake #1: Not being aware of the terms and conditions for each campaign. They vary and you are responsible for knowing and following them. For example, your Amazon affiliate links cannot be in emails, closed Facebook Groups or anywhere not publicly online. Ever. Also, you can’t use the Pretty Links plugin with Amazon affiliate links.

Mistake #2: Using the “They must not be my people” excuse to be spammy. I’m not a fan of this common tactic. Here’s how it works: people send a huge number of sales/promotional emails to their list with no warning and with no easy way to opt out. When people complain or unsubscribe, they put it on them (“Oh well, they aren’t my type of subscriber anyway…”), instead of taking responsibility for the spam (let’s call it what it is). What ever happened to “treat others the way you want to be treated”?

Mistake #3: Giving your friend’s product a glowing review without actually being familiar with your friend’s product. This happens a lot in the affiliate marketing (and book marketing) world unfortunately. It’s a “scratch my back and I’ll scratch yours” type of situation. By all means, give seu amigo a glowing review, but if you haven’t actually read their book or taken their course or tried their product, don’t talk about it as though you have. Readers deserve honest recommendations! (Here’s an example of me helping to announce the launch of my friend’s book while being clear I hadn’t read it.)

Mistake #4: Promoting products that are irrelevant, low quality or unhelpful. If you lose trust by promoting bad products, you lose readers. If you lose readers, income across all income streams decreases. Only promote things that truly benefit your audience.

Mistake #5: Promoting a lot of affiliate products instead of just a few. Once you start affiliate marketing, you realize how easy it is to share affiliate links. Instead of becoming an affiliate for a lot of different products and sharing them liberally, I recommend concentrating on just a few and sharing them intentionally. It doesn’t seem as spammy, plus you can be sure the products you do promote are closely aligned with your brand and message. Deep is better than wide.

Chapter 9: How to maximize affiliate marketing earnings

Chapter 9: How to maximize affiliate marketing earnings

Once you’ve got the basics down, here are suggestions to bump up your earnings.

Take advantage of affiliate program freebies when available. Many affiliate programs provide free printables, guides, webinars or other lead magnets designed to get potential customers in their sales funnel. As an affiliate, you can share these freebies with your audience using your affiliate link so if they eventually make a purchase, you’ll earn a commission, but if they don’t they still get value upfront.

These are great because they are an easy stepping stone into a sales funnel without jumping immediately to a sale. A lot of people are willing to grab a freebie. If the advertiser is skilled a nurturing them in the sales funnel, they are more likely to purchase in the end.

Take advantage of marketing tools whenever possible. Many affiliate programs offer useful resources to their affiliates aimed at helping affiliates make more sales. These range from monthly newsletters highlighting upcoming sales, tips or affiliate case studies, Facebook Groups just for affiliates, private webinars explaining marketing strategies in depth and more. Ultimate Bundles does this exceptionally well.

Offer your own bonus to affiliate deals. This sweetens the deal for someone considering a purchase but isn’t sure, plus it encourages them to use your affiliate link, not someone else’s.

For example, if you are promoting an online training as an affiliate, as a bonus, offer your own ebook. The key here is to make sure the bonus you offer is complementary to the product you’re promoting, makes the product easier to digest or offers help with the product itself.

For example, when I have promoted the Genius Blogger’s Toolkit in the past, my bonus, Shorten the Toolkit, is my list of the best resources in the Toolkit (after going through every resource personally).

Note: make sure your affiliate program’s terms of service allows you to offer a bonus.

Diversify. Don’t put all your eggs in one affiliate product basket. Promote multiple affiliate products. Better yet, diversify across all income streams.

In other words, utilize affiliate marketing, but also utilize other forms of income generating potential like selling your own product, offering a service, or selling ad space on your blog.

Experiment. Experiment with different promotional tactics, networks, types of content, ad sizes, text links vs. images, placement on your page, etc. Sometimes there are vast differences in revenue when small tweaks are made. Try different things constantly. Just because something works for someone you know doesn’t mean it will work for you.

Be honest. Talk about what you like and don’t like. Be fair and build trust. It will serve you well later. For examples, check out my review posts about Elite Blog Academy and Self Publishing 101. I get emails frequently from people who tell me they decided to purchase one of those courses through my affiliate link because it was the most balanced review they found.

Use your personal words & experience with the product. Your own content, or photos & videos of yourself using the product are always the most effective. For example, many affiliate programs provide swipe copy to their affiliates which is pre-written emails, post material or social media posts. These can be helpful as a guide, but they often scream swipe copy, aren’t written in your voice (the one your readers know!) and if a lot of affiliates are using it, are overdone.

Buy the product. I am convinced this is one of the reasons I am able to generate significant income even though my audience is smaller than many others.

I routinely turn down offers for free product or free trials by advertisers. I buy products with my own money and try them out as a paying customer. After all, if I’m part of my target audience and the advertiser can’t convince me to buy, it’s unlikely my audience will be convinced to buy either.

Focus on benefits not features. Don’t simply list the features of a product (“You’ll get this and this and this…). How will this product change their life? How has the product changed seu life? What will their life look like if they use this product?

Be an affiliate marketer for offline merchants as well. We’ve all seen brick & mortar businesses offer a discount to those who provide a referral. If you have a local blog and promote the products or services of a local business, ask them how you can be included in their referral program.

Use effective calls to action & hone your copywriting skills. Learn how to do them well. Read How to Create a Great Call to Action: 6 Tips for tips. Make sure you create catchy titles to draw people in. Make it personal, not sales-y. What would you be more likely to read? “Here’s What I Use to Build My Sites” or “Bluehost Hosting“?

Understand where people are at in the buying cycle and promote accordingly. Spend the most time sharing affiliate links where people are ready to buy. For example, you can share affiliate links on Pinterest, but most people are not on Pinterest to buy but to look. As such, focusing your affiliate marketing strategy on Pinterest might not be the best use of your time. Review posts, for example, might be better at tipping people over the line into buying.

Look around for the best affiliate deal. Many affiliate programs are offered in more than one place. For example, a while back, I realized one of my affiliates paid almost 30% more if I went through a different affiliate network. This doesn’t happen often, so I wouldn’t spend lots of time hunting, but keep your eyes peeled.

Ask for VIP (sometimes called “tiered”) commissions. Many affiliate programs have different commission levels. Usually the standard commission level is made public, but higher commissions are offered to higher performing affiliates. Sometimes you may be bumped up to “VIP affiliate” status by the advertiser, but most times you have to ask if there’s a higher tier and how you can get there.

You don’t necessarily have to have a huge site or lots of traffic. Consider emailing an affiliate program’s contact person (look for contact info on the site or in affiliate newsletters) if you send a lot of leads their way, rank well in the search engines for a related keyword or have a high conversion rate. Make your email compelling. Read my tips here. You just have to be a good fit and provide excellent value to the merchant. Another good resource for this is here.

Don’t be afraid to offer suggestions to affiliate program managers. Be proactive in offering advice or expertise to companies you work with if you know of ways to improve their sales page etc. After all, it’s a win for you and them.

Ask for special discounts or coupons. Many times affiliate managers are happy to create special coupons just for your readers. Not only is a unique coupon another way to track the effectiveness of your affiliate sales, it’s also another reason to share your affiliate link with your audience. Plus, who doesn’t love a discount?

Know when (and when not) to use Viglinks and Skimlinks. If you applied to an affiliate program but were denied, you might be able to still be an affiliate for that advertiser through a secondary affiliate program like VigLink or Skimlinks. Basically, they themselves are affiliates and will split their affiliate commission with you if you put their affiliate link in your content for an advertiser. Obviously, the commission rate is lower for you in this case, so if you ever are accepted into the advertiser’s affiliate program directly, immediately switch from using VigLink / Skimlinks affiliate links to your own.

Promote products at various price points. Even the little products (like Amazon ebooks) add up. If there is a truly useful product on the pricier side, it can still be worth the promotion even if only a few people buy it. If you’ve used a product of exceptional quality and it’s a good investment, or if it’s a product that’s unique, specialized or one-of-a-kind, go for it.

Be intentional about finding new products to promote. Keep a list of affiliate products to review, much like you would keep a running list of content ideas. Block out regular time in your calendar a way to hunt for new products to promote.

Keep a promotional calendar. You probably have an editorial (or content) calendar to help keep track of the content you will create. Likewise, use a promotional calendar to keep track of affiliate offers you will promote. I prefer to use my promotional calendar first and then align my editorial calendar to it.

Promote products that are stepping stones to products you will create in the future. This is a bit more advanced, but is a great way to think ahead. Amy Porterfield suggests thinking about the first thing your followers will need in order to get started with what you provide. For example, I teach people how to blog, so the first thing they need to start a blog is hosting. That’s why I am an affiliate for hosting.

Conclusão

One last note. I’ve been asked what I think of other affiliate marketing resources, both free and paid. I’m familiar with some of them, not all. I’ve read ebooks, watch videos, bought courses and more. So far, the only paid-for course that has impressed me enough to recommend is Kayla Aimee’s Affiliate Acceleration: Impactful Strategies To Increase Your Passive Income.

As I mentioned in the beginning, this post consolidates all my past posts about affiliate marketing into one. I hope it is helpful! If you are inclined to share it, I would be grateful.

Affiliate Marketing: The Ultimate Free Guide

The post Affiliate Marketing: The Ultimate (Free) Guide appeared first on Amy Lynn Andrews.

Posts que podem interessar:

6 razões para evitar os serviços de alojamento Web grátis

Deseja verificar o saldo do seu selo de alimentos em segundos? Você precisa desse aplicativo

8 Maneiras Simples para Corrigir o Seu Problema de fluxo de caixa

Maquiando no Ano Novo

LTE: Expansão de rede rápida nos próximos anos

Como participar de um evento esportivo como um adulto equilibrado

6 razões nem sempre para prestar atenção às estatísticas e números

Um guia para o curso BBA: disciplinas, plano de estudos, faculdades na Índia e muito mais

O Mundo das Festas