My Top 5 Tips on How to Declutter Your Home


Cathy, my wife has been trying to declutter our home for years. I’ve been the stubborn one and resisted the effort. She finally wore me down. And boy, am I glad she did. Her efforts got us quite a little bounty for stuff that’s been sitting around the house gathering dust. 

I invited Cathy to share the steps she took to turn our stuff into some nice cash. When the initial declutter was complete, she made over $3,000. She’s the brains and the organizer for these types of projects. For the most part, I’m the labor (and I’m free)!

If you want to learn how to sell things quickly, efficiently, and get the most money for your items, this post is for you.

I’d also recommend you check out one of my blogger friends, Melissa Blevins’s post Decluttering – Maria Kondo: Using the Kon Mari Method of Tidying Up.

With that, take it away, Cathy!

How to Declutter Your Home

Since Fred began this blog, I started reading articles from some of the bloggers he’s met. Many of them write on how to save, and make extra money,

I remembered all the items in the house we had accumulated over the last 20 years, thinking we would use them again. Or, maybe I would sell them. I finally decided to take the plunge and began selling the household goods we hadn’t touched in years.

Craigslist

I started with placing items on Craigslist. After a relatively short time,  I stopped. I found there are many scammers on the site and only a few serious buyers

One scam is the PayPal scam. In it, potential buyers would send me an email asking to place money in my PayPal account. They said they would send someone to pick up the item the next day. They usually had an excuse of being out of town or something.

After being hit several times by the scammers, I received this notice from Craigslist saying: 

Please be wary of distant ‘buyers’ responding to your ad! Many sellers receive replies from scammers hoping to defraud them through schemes involving counterfeit cashier’s checks and/or wire transfers. These checks will clear the bank, but the person cashing the check will be held responsible when the fraud is discovered. More info on scams can be found at this web address.

One scammer was very pushy. I finally had to threaten to track them down and turn them in if they didn’t stop emailing me.

Facebook

I decided to try selling the items on the Facebook Yard Sales in different cities around Fairfax County. I started by placing things on the Facebook yard sale site for Reston and Vienna, a town close to Reston. Facebook Market Place covers a broader surrounding area.

I began with small items like the usual decorations, kitchen items, linens, purses, etc. The bags went quick. You have to let kitchen items sit until the right buyer comes along. Sales started becoming very easy to make. Putting stuff on Facebook yard sale from my computer was perfect for me.

The Facebook yard sale is much better than preparing for an actual yard sale. In a yard sale, you drag everything out of the house and wait for people to get there. Whatever doesn’t sell (usually a lot of things) you have to haul back into the house or take to Goodwill.

What a pain! Selling online is way better than an actual yard sale.

You might also like:
10 Decluttering Tips to Simplify Your Life and Reclaim Your Home

Tip #1: Take good photos

A good photo of the item is a must, not only one angle but a couple.

Edit your photo for clarity. Make sure the brand name is visible. The lighting should not be blaring on your item. You may need to try a couple of different locations in the house to make it look its best.

Another way for a good photo is to Google your item. Find the exact item. Be sure you’re looking at a replica. From there, copy the image of the picture to place in the add. Most of the time, a replica picture online has lighting that’s much better and shows the item more clearly. 

Here’s a side table bookshelf I sold for $53 (originally purchased for $100). We used it for the last ten years. Someone bought it as soon as I placed the picture showing how to use the shelf.

Photo of bookshelfPhoto of empty bookshelf

 

 

 

 

The first picture is from a copied image online. The second is the actual shelf in front of my fireplace.

Here’s another example:

When Fred’s mom passed away. I inherited her collection of teacups. They sat on our shelves for years. We never once used them. Fred is a sentimental person. It’s hard for him to let go of things like this. He finally agreed it was time to sell his mom’s small collection. So I went to work.

The footed Demitasse Cup & Saucer set Lavender Rose by Royal is a Vintage item from the 1960s. The pictures are image copies. The lighting is perfect, and if you blow them up, you can see the clarity in the photos.

I took the second picture. It’s an Antique Mitterteich Demitasse Footed Cup & Saucer Blue/Gold with small pearls, made in Germany in perfect condition.

Photo of teacup and saucerPhoto of teacup saucerPhoto 3 of teacup and saucer, different angle

 

 

 

 

 

Photo of bottom of saucer showing brand namePhoto of single teacup with blue top edge and designPhoto of saucer that goes with blue ringed teacup

 

 

 

 

 

 

Photo of teacup on its sidePhoto of bottom of saucer showing brand name

 

 

 

 

 

You can see the difference! Remember I’ve only been using my iPhone 8 to take the pictures.        

Finding the exact item online can be a bit challenging at times. If you copy the image make sure it matches and shows what you’re selling.

Declutter Tip #2: Make a detailed description

It’s important to write a detailed description of whatever you’re selling. I’ve found the more detail, the better.

One way to find the wording is to Google whatever you’re selling. Remember to make sure it’s the replica of the item. If so, there is usually a good description.

Finding your piece can be tedious but taking the time is worth it. That helps you get top dollar and sell the item faster.

Here are a couple of examples:

Footed Demitasse Cup & Saucer Set; Lavender Rose by Royal. Vintage item from the 1960s; Material: Ceramic, Height: 2 3/4 in, Width: 3 1/2 in, Special Characteristics: MONTROSE Bone, and Crafted in England.

That was all I could find on the Mitterteich Demitasse. I was lucky to see that because they are not around any longer. After hours of looking, I found out they made these in Occupied Japan during World War II.

Gorgeous Antique Mitterteich Demitasse Footed Cup & Saucer Blue/Gold. Made in Germany. Perfect Condition.

The buyer who came to purchase the teacups had a collection of over 150. She said they were a perfect match for her collection. When people visit, she serves tea in them. She prides herself that those who come never use the same cup. That was a fun sale.

You might also like
Here are 5 Things I Won’t Give Up Just to Save Money
Your Values and Your Money – Do They Align?

Declutter Tip #3: Compare your price to a comparable new item

Example:

Like new Schwinn Recumbent Stationary Bike.

Photo Schwinn recumbent bike, side viewPhoto of Schwinn bike control panelPhoto of Schwinn recumbent bike side view 2Photo of our Schwinn recumbent bike for sale

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Goal Track capability enables a user to set individual exercise goals

20 levels of resistance for a wide range of workout intensity options

High speed, high inertia drive system for easy start-up and smooth, quiet workouts

DualTrack™ 2 LCD screen displays offer increased visibility to programs and goal tracking

22 preset workout programs: 9 profile, eight heart rate control, two fitness test, one quick start

Seat rail slider system with easy adjust lever customizes the fit for each user

Charging USB port to keep phones, tablets or music players at full battery life:

MP3 input to listen to your favorite playlist through in-console speakers. Dimensions are 64 X 27.7 X 50 inches and 300 pounds

New on Amazon $429 or used $290, plus $84 to assemble. We had the bike assembled professionally. We bought it in 2017.

I sold the bike for $280. It was like new. Fred bought the bike for me from Amazon. I found it uncomfortable to ride. We joined a local gym and had pretty much stopped using the bike.

I’m sure you can tell my picture versus the copied image from Amazon. This item sold quickly close to asking price of $300.

Declutter Tip #4: Be patient

A few years ago, Fred and I bought brand new road bikes.

Mine was a Specialized Roubaix Pro II. We had it custom fitted for me. We loved biking together. He’s 6’3″ and me 5’4″. I could never keep up with him on the rides. That was true before and after the purchase of this gorgeous bike. But we still made it work.

Here are a couple of pictures of the bike I loved. It was a 2010 Specialized Road Bike. 

Photo of Specialized Road back side view against a red wallPhoto 2 of Sepcialized road bike showing derailer componentsPhoto 3 of Specialized road bike showing front handlbars

 

 

 

 

 

 

You will notice the description is quite detailed, and I was asking the blue book price of $600.Yes, we discovered bikes have a blue book value. Here’s what I found online with help from an REI bike expert:

Specialized Roubaix Pro II, 700 x 23c w/Flak Jacket puncture protection. Components Brakeset: Shimano 105; Shift Levers: Shimano 105 Rear Cogs: Shimano 105, 10-speed: 12-27;

Saddle: Specialized Body Geometry Avatar Gel;

Handlebar: Specialized Pro Ergo, aluminum

Handlebar Stem: Specialized Comp-Set, aluminum.

Specialized’s Roubaix Comp Compact is a zippy road machine that rides so smoothly and comfortably that you can easily double your mileage. Specialized’s Zertz vibration-damping elastomer inserts boost the carbon fiber’s inherent road-smoothing qualities, while the back-friendly riding position gives you miles of comfort and control.

Plus, the 20-speed Shimano 105 drivetrain delivers the right gearing for every ride, while the reliable Mavic Aksium wheelset rolls effortlessly and is built to last.

And, this carbon beauty comes with a full complement of Specialized’s excellent aluminum components.

Size 29″ or 49cm.

Makes you want to but it right now, doesn’t it?

As I mentioned, I‘m 5’4. The representative at Spokes in Vienna did a beautiful job fitting me to this bike. It’s a men’s bike.

They built this bike for both comfort and speed. I’ve never ridden a more comfortable bike.

The buyer

I ended up receiving $550.00 for the bike. The cool story is the bike was fitted to me, a 5’4 frame. The bike fits me like a glove. It was a fantastic and comfortable ride for me. We would ride for hours, so it had to be comfortable.

Several people looked at the bike. Most were men, and it was to short for them. I left it on the Market, and Facebook yard sales for almost two months. I thought it would never sell.

On a Friday evening, I received a Facebook message from a gal who was interested and wanted to see it on Saturday. My first question was what is your height. She said 5’4 ½. (I think she could be the one!). The next morning around 11 am, she shows up.

I offered her my helmet, gloves, etc. She mentioned she had just finished an Ironman and was riding a big clunker of a bike. It had a steel frame. She said it was time for her to step it up and purchase a bike more suitable for her competitions. We turned her lose on the bike, and waited, and waited for her to return.

The joyful ride

When she returned from the ride, the look on her face was one of joy. She said she’d really “kicked it out” on the bike; that she loved it and a wanted to take it. As it turns out, she is in the military and works at the Pentagon and bikes to work every day.

It made me very happy to sell the bike to someone I knew would take care of it. I mentioned the bike was always kept inside and serviced each year. I included extra tires for a flat, a specialized tire pump, bike rack for $50, and a little bag to attach to the bike. She was happy, and I was even more pleased. We are friends on Facebook, and she sends me pictures of the bike.

I walked away with $600.00 from that sale, plus enjoyed riding the bike for eight years plus. 

When something doesn’t sell

Books and magazines will not sell on the Market Place or Facebook yard sales.

We found a local bookstore called 2nd and Charles in Woodbridge. We took ten boxes of books, everything from non-fiction, Christian, self-help, decorating, cookbooks, etc. The bookstore took almost five days to rummage through the boxes. They called with an offer, which we accepted. There were three boxes of the books they didn’t buy. They gave us $75 for the others.

They have a “free bin” on the front sidewalk of the store. We left the other three small boxes of items there. The last thing we wanted was to haul boxes of books back in the house. We were happy to get what we did.

Declutter Tip #5: Watch your ads

On the market, you have to renew the ad every seven days. And that’s an excellent time to change the price, wording or even a picture. Sometimes providing an idea of what to do with an item if it’s not obvious already.

For instance, I had a large basket which I placed little blankets in to keep the clutter down in the family room. I mentioned this on the add when selling the basket. The eventual buyer said the idea is what made her want the basket. If small things are not selling like a basket, kitchen item, etc. I will mark it down a $1 or $2, to push it back to the top of the list.

A lot of the items I’ve sold have been the Market Place top picks for weeks. By following the tips, your piece could be a top pick in your neighborhood.

In case you can’t decide what to sell here’s a list of some of the items I’ve sold:

[table id=10 /]

It looks like I’m over $3,000 as of this writing. And I just sold the Vintage Shafford Pitcher, which was collecting dust.

The beautiful thing is the clutter in my home is becoming less. I’m selling items we have not touched in years.

Watching the excitement on the buyer’s face is fun and rewarding. It’s interesting to see how much money I can make on this stuff. It’s also fun to see others get excited about the things you’re discarding.

Final thoughts

It’s Fred here with some closing thoughts.

I can’t tell you how little patience I have for this kind of thing. If it were up to me, things would likely never get sold and still be taking up space. I’ve never seen anyone as patient and detail oriented as Cathy with this kind of thing. She’s persistent. And she’s a tough negotiator. I’ve watched her over the past few months get better and better at it.

Since my office is at home, I’m the one that handles the transaction end of the deals. She’s right about how joyful many of the buyers are.

Last week, a guy came to by an old TV from us for $30.00. He came to the door while his son (probably nine or ten years old) stood outside and watched. You could see how excited the son was. Though he didn’t say, the dad was likely buying the TV for his son.

The woman who bought the teacups was a real jewel. She and her husband have a very successful landscaping and nursery business. I remember the conversation Cathy had with her on the phone. I heard her asking Cathy what else she had to sell. She ended up buying $160.00 worth of stuff.

She sent Cathy a text to tell how much she loved one particular item. I never dreamed we could get that kind of money out of things that sat for so long and, for which we had no use. And I’m grateful to Cathy for having what it takes to do this and sharing her strategies with all of you.

I hope you found it helpful. If you did, let Cathy know in the comments below.

Now it’s your turn. Have you decluttered your house? If so, did you sell things? Give them away? A combination? Let us know in the comments below.

Netflix anuncia nova série animada ‘DeadEndia’


A Netflix anunciou ontem que a série de graphic novel de comédia de terror de Hamish Steele “DeadEndia“Chegará em breve a uma tela perto de você.

Os estúdios da Blink Industries, indicados ao BAFTA e em Londres, adaptarão as premiadas novelas gráficas em uma série animada em 2D para a plataforma de streaming. Está programado para estrear globalmente na Netflix em 2021.

Hamish Steele explicou que, “DeadEndia é sobre demônios aterrorizantes, fantasmas vingativos e magia misteriosa. É também sobre atingir a maioridade em um mundo que não foi feito para você. É um drama sobre encontrar família, identidade e cometer erros. E, claro, é uma risada em voz alta! Eu sempre sonhei em fazer o programa que eu precisava como um garoto gay solitário e obcecado por horror, e graças à Netflix e à nossa sala e equipe de escritores ridiculamente talentosos, diversos e representativos, passamos dos meus sonhos e nos tornamos mais loucos território de fantasia! ”

DeadEndia baseia-se na série de novelas gráficas de Steele e na web curta Fim da linhae segue as aventuras de Barney, Norma e o cachorro-falante mágico Pugsley, enquanto equilibram seus empregos de verão na casa assombrada do parque temático local, enquanto lutam contra as forças sobrenaturais totalmente reais que nela habitam.

Juntamente com seu guia para o multiplano do submundo, um demônio sardônico de mil anos chamado Courtney, eles enfrentarão mascotes zumbis, apresentadores demoníacos de game show, bruxas que chupam o sono e a coisa mais assustadora de todas: suas primeiras paixões!

A série contará com o talento de Zach Barack como Barney, Kody Kavitha como Norma, Emily Osment como Courtney, Alex Brightman como Pugsley, Clinton Leupp (também conhecida como Miss Coco Peru) como Paule Phoenix, Kenny Trans como Logs e Kathreen Khavari como Badyah. .

Zach Barack, Kody Kavitha, Emily Osment, Clinton Leupp (também conhecida como Miss Coco Peru), Kenny Trans e Alex Brightman.

Os romances gráficos foram elogiados por capturar as dores crescentes do início da idade adulta, com um elenco de personagens com uma grande variedade de identidades e experiências, incluindo Barney, um adolescente transgênero e Norma, que é neurodiverso.

Você pode pegar DeadEndia em 2021 apenas na Netflix.

A roda do hamster do dinheiro, parte 2: Várias soluções, não apenas mais dinheiro


Na Parte 1: Identificando o problema, compartilhei a abordagem única de Lawrence Yeo sobre o dinheiro e a metáfora da roda de hamster, onde continuamos girando e não conseguimos sair. Desde então, tenho pensado mais sobre como desacelerar as coisas, atacando cada etapa do ciclo. Para ser sincero, não sei se consigo explicar adequadamente os conceitos de Yeo, então criei minha própria versão da roda de hamster. Aqui está, bastante apressadamente desenhado:

Uma crítica comum à busca de liberdade financeira é que se trata de dinheiro. Fazer mais dinheiro. Gaste menos dinheiro. No entanto, se você der um passo atrás, o dinheiro é apenas parte do fluxo entre como você passa o tempo em sua vida. Quão você está fazendo esse dinheiro? Por quê você quer mais dinheiro? Por quê você está gastando o dinheiro?

Assim, aqui estão várias maneiras pelas quais alguém pode diminuir o impacto de cada parte do ciclo.

  • Encontre um trabalho mais bem remunerado, igualmente gratificante e estimulante. Tente salvar o excesso. Não fique mais insatisfeito por mais dinheiro.
  • Encontre um trabalho mais gratificante e estimulante, mesmo que pague menos. Seja mais feliz e, portanto, precisa gastar menos para substituir essa felicidade.
  • Envolver-se em atividades não relacionadas ao trabalho que forneçam significado e estímulo. Se você precisar de um emprego melhor, trabalhe com uma nova habilidade. Se você precisar de mais estímulo, inicie um negócio paralelo e mantenha seu emprego atual. Ou apenas encontre um novo hobby / esporte / idioma. Agir é a chave, pois as atividades certas o energizarão.
  • Reduza o consumo de mídia de baixa qualidade. Pare de consumir coisas que o fazem se sentir pior consigo mesmo. As atividades erradas irão drená-lo, o que incentiva mais gastos.
  • Exercite-se mais (tente ao ar livre ou com outras pessoas) e coma melhor comida. Isso lhe dá mais energia o dia inteiro.
  • Gaste menos dinheiro com coisas que não importam, então você precisa de menos dinheiro. Corte os gastos irracionais e inúteis.
  • Gastar Mais dinheiro nas coisas que realmente importam para você. Agora que você deixa de pensar, pode gastar mais em melhorar os relacionamentos interpessoais ou energizar as atividades (veja acima).
  • Quanto mais você aprende a controlar esse ciclo, mais pode usar o conceito de “Suficiente” para aumentar a diferença entre entrada e saída de dinheiro. Desacoplar ganhos e gastos. Invista em ativos produtivos suficientes para que a renda necessária seja cada vez menor.

Abordar o problema de um ângulo, ajuda a libertá-lo para atacá-lo de outro ângulo posteriormente. Por exemplo, se você comer e se exercitar melhor, poderá ter energia suficiente para tomar medidas corretivas, e não apenas fantasiar sobre esse assunto quando realmente liga a TV após um longo dia de trabalho.


“O conteúdo editorial aqui não é fornecido por nenhuma das empresas mencionadas e não foi revisado, aprovado ou endossado por nenhuma dessas entidades. As opiniões expressas aqui são apenas do autor. Este e-mail pode conter links através dos quais somos compensados ​​quando você clica ou é aprovado para ofertas. ”

The Money Hamster Wheel, Parte 2: Várias soluções, não apenas mais dinheiro no blog My Money.


Direitos autorais © 2019 MyMoneyBlog.com. Todos os direitos reservados. Não reorganize sem permissão.

4 maneiras que o COVID-19 mudará sua carreira para sempre


Não é segredo que a pandemia de coronavírus (COVID-19) mudou fundamentalmente a maneira como trabalhamos. Mas há uma possibilidade muito real de que essas mudanças não sejam apenas temporárias.

Depois que a pandemia passa, muitas dessas mudanças podem se tornar permanentes.

E os números estão provando o quanto de nossa cultura de trabalho foi movida on-line. O Zoom registrou 200 milhões de usuários diários em sua popular plataforma de videoconferência remota no mês de março. Tradicionalmente, cerca de 10 milhões de usuários fazem login por dia.

Segundo Gallup, mais da metade dos gerentes disse que a pandemia de coronavírus convenceu sua organização a deixar a equipe trabalhar em casa com mais frequência. E a equipe está usando essa oportunidade remota de trabalho para manter uma cultura de trabalho mais descontraída, gerar riqueza e gastar menos tempo em seus carros.

4 maneiras COVID-19 mudará sua carreira

A pandemia mudou a maneira como fazemos negócios de várias maneiras. Aqui estão os quatro primeiros.

# 1: Trabalhar em casa

A mudança mais óbvia é a ampla adoção da cultura do trabalho em casa. Mesmo sem a pandemia do COVID-19, as oportunidades de trabalho em casa aumentaram 159% nos últimos 12 anos. E nove em cada dez trabalhadores remotos esperam continuar trabalhando em casa pelo resto de suas carreiras.

o forçado o trabalho remoto configurado em 2020 mostrou muitas empresas que manter uma equipe remota tem vários benefícios, como melhorar o moral dos funcionários, aumentar a retenção de funcionários e reduzir os custos imobiliários, como espaço no escritório e serviços mensais associados.

Os benefícios do trabalho remoto são abundantes. De acordo com um estudo da SHRM, quase 75% dos funcionários remotos disseram que o trabalho remoto melhorou seu equilíbrio entre vida pessoal e pessoal. E 2 em cada 3 trabalhadores relatam um aumento de produtividade durante o dia trabalhando em casa, em vez de em um escritório.

Um relatório da Flex Jobs encontrou números semelhantes. “Desde 2013, equilíbrio entre vida profissional e pessoal (76%), família (44%), economia de tempo (42%) e estresse no trajeto (42%) são os quatro principais motivos relatados pelas quais as pessoas buscam trabalho flexível”.

É verdade que o trabalho remoto não será possível – ou mesmo benéfico, para alguns funcionários. Mas, os números mostram claramente que um movimento para trabalhar em casa é bem recebido pela maioria dos trabalhadores.

# 2: menos viagens de negócios

Embora as viagens de negócios não desapareçam completamente, a pandemia mudou o cenário das viagens. Notavelmente, os recursos de videoconferência remota como Zoom, Microsoft Teams e Skype revelaram a realidade da realização de negócios online, e não através de contatos pessoais, economizando tempo e dinheiro em viagens de negócios.

Como o Zoom, a plataforma Microsoft Teams disparou nos últimos meses. Agora, o Teams vê mais de 70 milhões de usuários acessando todos os dias, um serviço lançado pela Microsoft em 2017. O Skype aumentou em 70% o uso desde março de 2020.

Uma pesquisa da Global Business Travel Association, um grupo comercial projetado para líderes de viagens corporativas, descobriu que mais de 90% das empresas praticamente eliminaram as viagens corporativas. As fundações de negócios que essas empresas criaram para ajudar a garantir a continuidade dos negócios em todo o mundo provavelmente permanecerão, até certo ponto, após a aprovação do COVID-19.

# 3: projetos de escritório alterados

A pandemia mostrou o risco à saúde inerente a determinados projetos de escritório, especialmente aqueles em que as mesas estão de frente uma para a outra. Configurações apertadas de escritório mantêm sua equipe trabalhando muito próxima, potencialmente fortalecendo os riscos à saúde no escritório.

“As empresas terão que reorientar as estações de trabalho, para que as pessoas não se enfrentem. Isso pode significar mudar a localização do computador ou a fonte de energia ”, disse o especialista em arquitetura Marc Spector à CNBC.

“As empresas terão que remover todas as mesas e cadeiras em salas de conferência ou outras áreas comuns para dar maior flexibilidade à distância do espaço. Quaisquer objetos pessoais em mesas ou escritórios precisam ser removidos ”, acrescentou Spector.

Os escritórios abertos também podem estar no ponto de desbaste.

De acordo com o New York Times, muitos escritórios pessoalmente podem começar a incluir recursos de saúde, como proteções contra espirros e barreiras de acrílico entre mesas e áreas de trabalho. Estações de desinfetante para as mãos, filtros de ar e espaços de encontro ao ar livre (em vez de internos) são outras idéias que estão sendo ponderadas por muitas organizações.

O Times acrescentou que o aumento da licença médica paga pode incentivar os funcionários doentes a ficar em casa (ou trabalhar em casa), em vez de fazer com que os funcionários doentes se sintam obrigados a trabalhar no escritório e possivelmente espalhar germes.

# 4: Disponibilidade global de trabalhadores

À medida que mais negócios se movem on-line, a localização física da equipe se torna cada vez menos importante. Isso pode afetar os salários à medida que a demografia da equipe do escritório começa a variar bastante entre os países e seus custos de vida.

Além disso, a força de trabalho global pode mudar o processo de contratação. As opções de pessoal em todo o mundo aumentarão a competitividade de certos empregos, como cargos de entrada de dados, suporte por telefone e outras funções que não exigem habilidades especializadas.

De fato, muitas empresas estão buscando ativamente aumentar suas funções de suporte ao cliente, vendas e contabilidade, mesmo durante a pandemia. A redução de custos indiretos anteriormente imposta por limitações imobiliárias abriu várias oportunidades de contratação que empresas como CVS, United Health, Oracle e Citizens Bank estão tentando explorar.

Em conclusão, a pandemia do COVID-19 mudou fundamentalmente o mundo, e essas mudanças podem não ser temporárias. Muitas empresas entendem rapidamente a realidade de realizar negócios on-line e manter uma equipe remota.

No mínimo, a pandemia afetou fortemente o design do escritório para melhorar a saúde da equipe e continuará a influenciar as decisões de contratação nos próximos anos.

O post 4 maneiras que o COVID-19 mudará sua carreira para sempre apareceu pela primeira vez no Your Money Geek.

A roda do hamster do dinheiro, parte 1: Identificando o problema


Comecei a procurar independência financeira porque simplesmente não conseguia me imaginar fazendo o que estava fazendo todos os dias da semana naquela época por mais 30 ou 40 anos. Algumas pessoas sabem exatamente o que querem passar a vida fazendo, e também paga as contas e mais algumas. Eu sempre tive inveja dessas pessoas. Estranhamente, nunca senti que ganhar mais dinheiro fosse a resposta final. Eu salvei diligentemente a fim de larguei o emprego e voltei para a escola e explore caminhos alternativos.

Esta semana, estive refletindo sobre a filosofia de dinheiro de Lawrence Yeo em How Money Forever Changed Us. É uma exploração de alto nível de como o dinheiro resolve e causa vários conflitos em nossas vidas. Isso culmina no que ele chama de Roda do hamster de dinheiro:

As perguntas feitas são um pouco diferentes do que você já viu em outros lugares. Trabalhar um trabalho que não preenche nossa necessidade de propósito e significado realmente tira algo de nossa identidade? É essa perda de identidade que estamos realmente tentando substituir gastando dinheiro? Por que é tão raro encontrar pessoas verdadeiramente felizes e alinhadas com seu trabalho e o resto de suas vidas?

Você terá que ler o artigo inteiro para entender todos os raios do volante (embora eu ainda não tenha certeza disso), e enquanto Yeo admite que não é possível “sair do volante” completamente, você pode faça alguma coisa:

Quando olho cada um dos raios no volante, vejo-os como oportunidades potenciais para diminuir a velocidade da coisa toda. Se estivermos cientes de cada mecanismo, podemos perceber quando estamos operando sob eles e diminuir o impacto por sua vez.

A roda do hamster é uma grande metáfora. Com o tempo, aceitei que a independência financeira sempre será rara. Eu pensava que renda mais alta = mais riqueza = mais estabilidade. Mas então notei que certas coisas não mudam quando as pessoas ganham US $ 75 mil vs. US $ 150 mil versus US $ 300 mil por ano. O bairro muda. O carro muda. Sim, até o patrimônio líquido médio muda (mas raramente chega a 33x de despesas antes dos 65 anos). A menos que eles obtenham um lucro extraordinário nos milhões, a maioria deles funcionará até os 65 anos ou mais. Muitos dirão que gostam do trabalho deles, mas nunca o fariam com um corte de 25% nos salários. A maioria nunca será capaz de lidar com um longo período de desemprego. Ganhe mais, gaste mais. Ainda girando no volante. Talvez seja assim que deve ser? Yeo apresenta uma solução:

Mas se tomarmos um tempo para olhar mais de perto, veremos que existe um meio termo. Um lugar onde nossos medos pudessem ser acalmados e nossos desejos pudessem ser reduzidos. Um lugar onde a busca por dinheiro recai apenas no essencial.

Em um mundo onde nem a escassez nem a abundância servirão, talvez a solução mais próxima do grande paradoxo se reduz a um princípio:

A capacidade de reconhecer quando temos o suficiente.

Parece fácil, mas chocantemente difícil. “Chega” não é incentivado em nossa cultura. Eu ainda luto com isso também, ou pelo menos temo não ser capaz de continuar a luta para sempre.


“O conteúdo editorial aqui não é fornecido por nenhuma das empresas mencionadas e não foi revisado, aprovado ou endossado por nenhuma dessas entidades. As opiniões expressas aqui são apenas do autor. Este e-mail pode conter links através dos quais somos compensados ​​quando você clica ou é aprovado para ofertas. ”

A roda do hamster do dinheiro, parte 1: Identificando o problema do blog do meu dinheiro.


Direitos autorais © 2019 MyMoneyBlog.com. Todos os direitos reservados. Não reorganize sem permissão.

Oferta AmEx Shop Small: US $ 5 de desconto em US $ 10 + em pequenas empresas (economia total de até US $ 50)


Se você tiver cartões de crédito American Express, verifique as “Ofertas Amex” na sua conta on-line ou aplicativo para smartphone. A maioria das pessoas está vendo a oferta “Gaste US $ 10 ou mais, receba US $ 5 de volta, até 10 vezes quando fizer compras pequenas até 20/9/20”.

Obtenha um crédito de extrato de US $ 5 usando seu cartão registrado para fazer uma compra única de US $ 10 ou mais em um local comercial nos EUA no mapa pequeno da loja (ou diretório on-line) até 20/9/20. Limite de 10 créditos de extrato (total de US $ 50).

Antes Ao clicar no botão “Adicionar ao cartão”, verifique se selecionou o cartão AmEx específico que pretende usar para esta promoção. Depois de adicionar esta oferta a um dos seus cartões, a oferta desaparecerá do restante deles. Você deve se inscrever até 26/07/20. Aqui está uma captura de tela:

Você pode encontrar empresas qualificadas em americanexpress.com/shopsmalloffer ou americanexpress.com/shopsmallonline.

Não é um mau negócio, você pode apoiar pequenas empresas locais e receber até US $ 50 no total. (Um casal com dois cartões em seu próprio nome pode receber US $ 100 de volta.) Não deve ser muito difícil apoiá-los dez vezes nas próximas 11 semanas, mesmo que uma vez por semana em um restaurante local para levar para viagem.


“O conteúdo editorial aqui não é fornecido por nenhuma das empresas mencionadas e não foi revisado, aprovado ou endossado por nenhuma dessas entidades. As opiniões expressas aqui são apenas do autor. Este e-mail pode conter links através dos quais somos compensados ​​quando você clica ou é aprovado para ofertas. ”

Oferta pequena da loja AmEx: US $ 5 de desconto em US $ 10 + em pequenas empresas (até US $ 50 de economia total) no Blog My Money.


Direitos autorais © 2019 MyMoneyBlog.com. Todos os direitos reservados. Não reorganize sem permissão.

Como pagar contas em horários incertos


Você é como muitos que estão preocupados com o modo como pagarão as contas durante esses períodos de incerteza?

Vamos conversar a respeito disso. Os pequenos e feios pedaços de correspondência real ou virtual que nos lembram as alegrias da vida adulta não se pagam.

Quer gostemos ou não, pagar contas é um fato de nossa vida adulta. Podemos ter aprendido a calcular o interesse no ensino médio, mas alguém realmente nos ensinou a pagar contas?

Se você está lutando para gerenciar suas dívidas mensais, não pode fugir e se esconder delas. Você precisa enfrentá-lo de frente. Aqui estão algumas dicas para ajudá-lo a pagar as contas em dia. Quem sabe?

Eduque-se

A escola pode não ter ensinado tudo sobre o pagamento de suas contas, mas isso não significa que você não pode aprender sozinho.

Pesquisando como funcionam os pagamentos em atraso e saber o que afeta o não pagamento das contas em dia na sua pontuação de crédito o ajudarão a entender a importância dos pagamentos.

Por exemplo, você sabia que as taxas atrasadas podem custar US $ 25 a 35 a mais por fatura ou que 35% das pessoas pagaram uma fatura após a data de vencimento?

Aumente seu QI financeiro lendo ou ouvindo o tópico. Existem vários sites, livros e podcasts que podem ajudar a aumentar seu conhecimento geral.

Monitore suas despesas

Antes de executar o próximo passo, mantenha um bloco de notas à mão ou use seu smartphone para rastrear o dinheiro gasto.

Basta acompanhar seus gastos. Não importa quão pequeno. Anote as despesas. Anote os US $ 1,38 que você gastou no café esta manhã. TUDO.

Antes que você possa equilibrar adequadamente um orçamento, é imprescindível saber o que você gasta e onde pode reduzir. Freqüentemente, caímos em hábitos de gastos que se tornam tão rotineiros que não percebemos que eles podem resultar em despesas significativas no final do mês.

Manter o controle de cada centavo mostrará se você for ao cinema mais vezes do que um crítico ou se o seu vício em calçados está ficando muito intenso. Lembre-se de prestar atenção às taxas bancárias!

Iniciar um orçamento

O orçamento pode ser a parte mais desafiadora do controle de contas. Depois de rastrear seus gastos e reduzir para onde for necessário, é hora de criar um orçamento e cumpri-lo.

Um orçamento bem-sucedido equilibra sua renda com despesas. Exemplos de renda são seu salário em tempo integral após deduções ou horas de trabalho paralelas. As despesas são tudo, desde transporte a alimentos, roupas a pagamentos de empréstimos e tudo mais.

Se você tem renda extra, está à frente do jogo, agora economize! Se você gasta mais em despesas, está endividando-se. Isto não é bom. O objetivo é sempre gastar menos do que você ganha. Tome medidas adicionais para reduzir as despesas.

As folhas do Google são uma ótima plataforma para criar e acompanhar seu orçamento. Uma planilha do Google é facilmente acessada de qualquer lugar.

Use seu orçamento para acompanhar quando as contas vencem e quanto você precisará reservar para elas. Você também pode reservar fundos de emergência economizando um pouquinho a cada mês.

Também pode ser sensato criar várias versões de um orçamento. E se sua renda diminuir de repente? Como lidaria com isso? Tendo todos os cenários diferentes definidos antes da diminuição, você não poderá entrar em pânico e sofrer estresse e ansiedade com o seu dinheiro.

Usar aplicativos

Se você não tem tempo ou é viciado em smartphones como a maioria das pessoas, considere baixar um aplicativo de gerenciamento financeiro. Esses programas especializados em tecnologia podem gerenciar seu orçamento para você, alertá-lo sobre seus hábitos de gastos e até sincronizar com seus empréstimos.

Os aplicativos de gerenciamento financeiro são relativamente fáceis de usar e ótimos para quem quer controlar seu dinheiro. A maioria dos aplicativos pode ser vinculada às suas contas bancárias e ajudar a organizar suas receitas e despesas automaticamente.

Isso eliminará o ônus de ter que inserir os dados manualmente e ajudará a mantê-lo motivado para acompanhar gastos, orçamento e pagar contas.

Definir lembretes

Se você optar por utilizar os alertas integrados diretamente no calendário do seu smartphone ou se preferir usar um calendário pontiagudo e flip-wall, fixar lembretes é a maneira ideal de se lembrar de pagar.

Reserve alguns dias para que o pagamento apareça no provedor, e você também evitará taxas atrasadas e possíveis aumentos nas taxas de juros!

Você pode criar datas de pagamento no seu orçamento ou adicioná-las ao seu aplicativo de rastreamento de dinheiro. Adicionar a data do dia do pagamento também dará uma idéia clara de quando você precisa pagar as contas.

Consolidação

As táticas de consolidação podem ser usadas de duas maneiras. Para economizar um pouco em alguns serviços, você pode pesquisar pacotes, consolidando necessidades como telefone, Internet e cabo em uma única conta.

Se você é locatário, pode falar com o proprietário sobre a possibilidade de pagar uma taxa com tudo incluído, em vez de alugar mais serviços públicos. A combinação de serviços nem sempre economiza uma tonelada, mas cada centavo conta!

Outro tipo de consolidação a considerar é a consolidação da dívida. Se suas despesas o estão consumindo, talvez seja hora de entrar em contato com uma dívida profissionalmente e combinar seus empréstimos / linhas de crédito em uma única fatura.

Um programa de gerenciamento de dívidas (DMP) são programas que ajudam você a pagar sua dívida. Muitas instituições financeiras, como o seu banco atual, oferecem esses serviços gratuitamente aos associados.

Reparar sua situação de dívida agora pode valer a pontuação de crédito mais baixa que você pode ter por um ano ou dois. A chave é não adicionar nenhuma nova dívida ao pagar a dívida antiga. Pense nisso como um sacrifício de curto prazo para o melhor objetivo de longo prazo.

Pensamento final sobre como pagar contas

Não há uma maneira fácil e ensolarada de colocar as coisas – ser adulto é difícil! Obter um controle seguro sobre como pagar contas e gerenciar o dinheiro de maneira geral é uma ótima maneira de se preparar para o sucesso futuro.

Principais Takeaways

  • Aumente seu conhecimento financeiro.
  • Entenda o processo de “Pagamento de contas”, incluindo taxas atrasadas, juros, etc.
  • Construir um plano de dinheiro na forma de um orçamento
  • Use tecnologia como aplicativos ou o Google para sua vantagem.
  • Obtenha ajuda, se necessário.

Use essas dicas para melhorar sua situação financeira e reduzir o estresse e a ansiedade no que diz respeito ao seu dinheiro.

O post Como pagar contas durante tempos incertos apareceu pela primeira vez no Your Money Geek.

Amazon: Crédito promocional de $ 20 após $ 50 + compra usando o American Express


Aqui está uma nova promoção da Amazon / AmEx que promete “US $ 20 de desconto na Amazon depois de fazer uma compra única de US $ 50 ou mais usando o seu cartão American Express”. No entanto, a promoção tem muitas letras pequenas a serem observadas:

  • Você deve comprar produtos “vendidos pela Amazon.com” ou “vendidos pela Amazon Digital Services LLC” até 22/7/20. Os cartões de presente eletrônico da Amazon não se qualificam.
  • Você deve gastar US $ 50 ou mais em uma única compra usando “qualquer cartão de consumidor American Express qualificado”.
  • Você deve fazer tudo isso com antecedência, sem poder ver que está qualificado para a promoção. Após o envio do pedido, somente então você receberá um e-mail de confirmação.
  • O crédito promocional de US $ 20 pode ser usado apenas na loja Amazon Moments, que são “itens com curadoria de 4 estrelas e acima”.
  • O crédito promocional deve ser resgatado até 22 de agosto de 2020.
  • Oferta limitada a apenas uma por cliente e conta.

Essa é uma daquelas promoções em que, se eu precisar comprar US $ 50 em itens, definitivamente tentarei me qualificar usando meu cartão American Express de consumidor e verificando até o prazo final, mas não vou sair do meu caminho. (Eles devem definir com mais clareza o que é um cartão de consumidor American Express “elegível”.) Não tenho muita certeza do objetivo dessa “curadoria” quando consiste em uma longa lista de mais de 1.000 itens em cada categoria. Quem vai comprar a Amazon dessa maneira?

Meus dois cartões American Express de consumidor “detentor” são o Blue Cash Preferred da AmEx (6% em dinheiro de volta nos supermercados dos EUA, até US $ 6.000 por ano) e o Amex EveryDay Card (mantém ativos meus pontos de associação, sem taxa anual, ajuda a se qualificar para várias promoções da Amazon).


“O conteúdo editorial aqui não é fornecido por nenhuma das empresas mencionadas e não foi revisado, aprovado ou endossado por nenhuma dessas entidades. As opiniões expressas aqui são apenas do autor. Este e-mail pode conter links através dos quais somos compensados ​​quando você clica ou é aprovado para ofertas. ”

Amazon: crédito promocional de US $ 20 após compra de US $ 50 + usando o American Express do My Money Blog.


Direitos autorais © 2019 MyMoneyBlog.com. Todos os direitos reservados. Não reorganize sem permissão.

Entrevista: Denim Richards discute ‘Yellowstone’ e investiga histórias negras não contadas com ‘The Zoo’


Denim Richards é uma potência.

Ele conseguiu seu primeiro grande papel na TV em 2018 no site da Paramount Network Yellowstone como Colby, ao lado de Kevin Costner. Na próxima terceira temporada da série, Richards foi atualizado para uma série regular. Ele co-estrelou seu primeiro longa-metragem O fazendeiro Chickasaw, que foi filmado em 2017 e com estreia prevista para 2020. Richards também apareceu como Elijah na segunda temporada da série spin-off de Freeform. Good Trouble.

Ele é um homem de muitos talentos: ele pode atuar, cantar ópera, andar a cavalo, escrever e dirigir roteiros, e oferecer as entrevistas mais perspicazes e práticas. Confira nossa entrevista com Denim Richards.

Denim Richards discute “Yellowstone” e explora histórias negras não contadas com “The Zoo”

crédito: Diana Ragland

Maggie Lovitt (ML): Então, como está indo a quarentena para você?

Denim Richards (DR): Você aproveita ao máximo o que pode. Consegui muitas coisas que provavelmente não conseguiria concluir [finished] porque geralmente você fica circulando o tempo todo. Então, com o desligamento, eu comecei um jardim, e você sabe, eu consegui terminar alguns [of the] outros pequenos projetos pela casa.

Eu escrevi um livro É o tipo de coisa em que você entende tudo o que está acontecendo, mas em vez de eu ficar lambendo minhas feridas, você apenas tenta tirar o máximo proveito disso. Então, você sabe, eu tentei apenas aproveitar ao máximo.

ML: Você já teve a chance de assistir a algum dos programas? serviços de streaming?

DR: Não houve nenhum programa que eu tenha assistido ainda, apenas porque terminei meu livro e depois terminei de editar meu filme. Então, eu acabei de ser muito inundado. É uma loucura, porque eu tenho muitos amigos que são como: “Tem esse documentário sobre um tigre”.

ML: Oh Deus, Rei tigre. Parece uma vida atrás.

DR: Exatamente! Todas essas pessoas eram como você tem que assistir isso! Você tem que assistir isso! E eu fico tipo, tudo bem, e começo a anotá-las. Então, eu tenho uma lista de dez programas que eu provavelmente deveria assistir, e eu ainda não os assisti ainda. Estou muito atrasado, mas prometo que estou fazendo coisas que serão muito, muito benéfico para todos os outros.

ML: Sim, isso é bom. você priorizou.

DR: Eu tentei. Então você sabe, eu decidi tirar proveito disso e, assim que as coisas começarem a melhorar um pouco, e eu tiver algum outro tipo de tempo de inatividade, e todas essas outras coisas terminarem, eu meio que vou me acalmar um pouco e volto a alguns desses outros programas que eu tenho estado tão atrasados. Então, por causa disso, muitos dos meus amigos pensam: “Só não fale comigo!”

ML: Oh, isso é muito engraçado! Então, como você começou a atuar?

DR: Atuar sempre foi algo que acho que nasci para fazer. A primeira vez que tive uma experiência, lembro que estava no jardim de infância. E você sabe que quando você está no jardim de infância, você sempre faz assim, como realmente peças ruins?

ML: Sim!

DR: E é como, você sabe, segure este sinal e fique aí. E então eu lembro que tínhamos esses na escola que eu frequentava. Teríamos essas coisas chamadas “família escolar” toda sexta-feira. [It would be] um desempenho de algum tipo em todas as séries – do jardim de infância à oitava série. Em uma dessas apresentações, eu deveria estar usando esta placa para ficar ali, e eles disseram: “Ok, tudo o que você faz é colocar essa placa e caminhar até a frente do palco, e você fica lá e não faz mais nada. ” E eu fiquei tipo “Uau! ” Mas então, quando eu vi todo mundo na assembléia e tudo, eu fiquei tipo, tão animado. Então cheguei à frente e comecei a me mover e fazer toda essa bobagem, e me afastar completamente de tudo o mais.

Então, por causa disso, os professores se reuniram como: “Olha, nós temos esse desempenho anual chegando [and] achamos que seria bom ver seu filho nessa apresentação. ” Eu acho que tinha cinco anos. Eles meio que me levaram até lá, e eu comecei a cantar, e a multidão meio que se iluminou. Eu estava tão animado para ver os sorrisos e como todos estavam felizes. Depois disso, foi como, “Oh, é isso que eu quero fazer! Tipo, isso é uma coisa incrível. ” Então, eu meio que percebi isso aos cinco anos de idade e nunca olhei para trás.

ML: Isso é impressionante! Essa é uma experiência tão única de se entrar é tão jovem quando você estava no jardim de infância.

DR: Quero dizer, toda a jornada foi tão única e divertida, mas você sabe, tudo faz parte dela. Quando criança, você espera que, quando disser que deseja fazer algo, seja capaz de fazê-lo. Lembro que depois que entrei na primeira série, houve um momento em que a professora ligou para minha mãe e ficou tipo: “Ei, você sabe, seu filho está meio que distraindo”. E ela ficou tipo: “O que ele está fazendo? Porque geralmente, ele não é realmente assim.

Então, estou me envelhecendo, mas foi o primeiro ano em que Rei Leão saiu. Agora eu peguei a trilha sonora do filme e estava tocando o tempo todo. Então, na primeira série, durante um período em que as pessoas provavelmente estavam fazendo testes, ou eu não sei, fazendo o que deveríamos estar fazendo, como a leitura, eu me sentava na cadeira e começava a tocar todas as músicas para a Rei Leão. E eles são como, “Nós não sabemos o que fazer com ele, porque ele não vai parar.” Tipo, ele estava cantando em campo pelo menos? E eles são como, “Nós não sabemos”. Então você sabe, isso sempre esteve meio que em mim.

ML: Isso é muito engraçado você dizer isso. Acabei de encontrar minha fita cassete de Rei Leão, e ainda funciona. Como na semana passada. Foi um filme tão bom.

DR: Ainda é um dos meus favoritos. E ainda assim, se eu tiver um tempo de inatividade e eu meio que quiser desligar meu cérebro, eu absolutamente jogo o original.

ML: Então foi assim que você começou a cantar ópera? O seu interesse em cantar?

DR: Isso foi. Eu sempre amei cantar. Eu estava fazendo peças, e então as peças me levaram a fazer teatro musical. Então, eu estava fazendo muitas apresentações de teatro musical. Eu [have] provavelmente feito em mais de vinte shows de teatro musical. Eu estava fazendo isso, e isso era algo que eu amava e gostava de fazer. E então, do jeito que eu sou, eu estou sempre [wanting] outro desafio. [At] quinze ou dezesseis, comecei a entrar no lado da ópera e queria aprender ópera. Eu tinha ouvido todos esses cantores de ópera e, até hoje, meu vocalista favorito de todos os tempos é Leontyne Price. Lembro-me de ouvi-la cantar, e o comando [she had] era apenas tudo. O foco. Eu era como, “eu quero fazer isso.”

Acho que provavelmente tinha dezesseis anos quando comecei minha primeira aula de ópera oficial, e foi a coisa mais difícil que já fiz. Eu estava chorando na aula de voz porque era muito difícil.

Mas adorei porque era muito desafiador e era algo que nunca havia crescido. Portanto, foi muito bom não apenas para mim, mas para todos os outros que estavam ao redor da minha família, eu e meus amigos. E isso geralmente não é uma coisa super comum que uma garota de dezesseis anos estaria fazendo, apenas tentando a coisa da ópera.

Isso realmente me ajudou vocalmente, mas [it] também apenas me ajudou como homem, apenas para poder ter mais comando e estar mais presente em meu corpo e entender o que isso significava.

Por isso, meio que passou para tantos aspectos diferentes [with] a disciplina. Opera é algo que você deve estar disposto a colocar horas e horas e horas todos os dias. Como se você não pudesse relaxar. Então tem sido super benéfico. Isso traçou muito da base para eu ser um artista, sabe, até hoje.

ML: Sim, e tenho certeza de que isso também ajuda a agir, porque ajuda a manter o comando e a disciplina sobre os quais você está falando.

DR: Sim. Eu acho que com a atuação, [it] sempre foi interessante para mim, porque quando eu fazia teatro musical, sempre senti que poderia ser como um brinquedo de corda. Afinal, havia o canto, a dança e a atuação. Havia luzes e roupas brilhantes. Havia [these] conjuntos enormes, para que você possa ser do tamanho que quiser, dependendo do cenário.

Quando eu estava tentando fazer a transição do teatro musical para a televisão e o cinema comerciais, parecia um feito impossível. Eu não sabia dizer quantos agentes e gerentes, onde eram apenas portas batendo na minha cara porque eu não conseguia entrar. Eu não conseguia me concentrar porque era muito grande. Quando você está fazendo um trabalho de câmera, precisa ser muito pequeno. É tudo sobre seus olhos e todas essas outras coisas. Eu simplesmente não era capaz de fazer isso por um longo tempo.

Mas então, quando comecei a ficar mais confortável, especialmente com a ópera, porque você não está se movendo muito. Você precisa apenas ficar em pé e entregar. Isso meio que me ajudou quando eu estava começando a me aprofundar mais nessa disciplina [and] faça essa transição para o lado da televisão e do cinema. isto [made it] um pouco mais gerenciável para poder confiar apenas no trabalho interno para poder se destacar do lado de fora.

ML: E depois Yellowstone, você tem atualizado para uma temporada regular nesta temporada, correto?

DR: Sim. Desde o primeiro dia, episódio um, primeira temporada, tem sido uma bênção. Sabe, tudo na minha vida tem sido uma jornada incrível. Eu me sinto tão abençoado pelo Altíssimo por poder ser usado dessa maneira. E ser capaz de se juntar a Taylor Sheridan, que criou essa coisa e a escreveu. [He] reuniu um elenco e uma equipe tão incríveis.

Então, sendo capaz de fazer parte disso e como artista, especialmente quando você está entrando na televisão, um dos seus maiores objetivos é sempre se tornar uma série regular no programa. Então, o fato de eu poder fazer parte disso em um programa que é o primeiro, na qual eu participei de vários episódios, não apenas participando de um ou dois episódios e indo no dia seguinte. Tem sido uma bênção e sei que sou muito grato por não apenas Yellowstone mas para a Paramount Network, porque eles me acolheram e me abraçaram, e me permitiram ser como eu sou. Tem sido uma bênção. Eu não podia imaginar ser uma série regular em qualquer outro show.

ML: E o que os fãs da série podem esperar do arco de Colby nesta temporada?

DR: Esta temporada é incrível porque você vê Colby sob uma luz tão diferente. Ele está se encontrando e explorando sua própria personalidade dentro da Bunkhouse, dentro de Yellowstone e dentro do rancho Dutton em geral. Então você verá, o que eu acho que é o tema para toda a temporada, enquanto as temporadas 1 e 2 foram muito cheias de ação e [they] realmente deu um soco várias vezes. A terceira temporada também faz isso, mas também adicionamos outra camada em que realmente meio que entramos [of] esses personagens emocionalmente. Então, você meio que consegue ver o que todos estão sentindo e explorar tudo isso.

[The fans] vamos ver quem são esses personagens o tempo todo. Não apenas quando eles precisam, você sabe, ser fortes e grandes quando estão em um estado vulnerável e quando não sentem que têm todas as respostas. Colby é uma daquelas pessoas que meio que enfrentam esses altos e baixos. Ele tem realmente realmente história surpreendente. Ainda não vou revelar, porque quero que as pessoas assistam. Mas prometo que vale a pena. E eu prometo que é algo que ninguém – não há ninguém que tenha assistido as temporadas 1 e 2 – que jamais poderá esperar. É uma jornada incrível, e estou empolgado por nosso público poder participar dela.

ML: Isso é fantástico, especialmente desde [the audience] viu seu personagem crescer nas últimas temporadas. Agora, para ter essa parte maior da história.

DR: É uma prova de poder fazer parte de uma escrita incrível e também apenas dos personagens e de todos os artistas que temos no programa, o que torna o programa tão divertido. Temos a experiência de estar no deserto e ser mais físicos. Isso também é divertido. Todo ano voltando e não apenas crescendo como ser humano, mas também vendo seu personagem crescer como ser humano também. Isso meio que parece uma boa relação simbiótica entre os dois, o que é divertido.

O elenco de ‘Yellowstone’ / crédito: Paramount Network

ML: Como foi filmar em Montana, porque eu olhei para cima onde Darby estava, e parece que está no meio do nada.

DR: Isso é muito verdade. É no meio do nada. Isso é tão incrível. Sabe, eu digo isso o tempo todo que toda vez que vamos a Montana, sinto que tenho dez anos adicionados de volta à minha vida. Só porque [the] o ritmo é muito mais lento, é tão relaxante. Não há rodovias para entrar e sentar no trânsito. Você vai a uma cafeteria e todo mundo se envolve. Eles não estão olhando para seus telefones e depois precisam correr para fora e colocar dinheiro nos medidores. É apenas uma cidade muito pequena, por isso é muito relaxante.

Também é legal porque o elenco e a equipe se tornam muito mais familiares, porque somos praticamente nós. Portanto, é bom porque, durante a maior parte do tempo, quando não estamos filmando, estamos juntos à volta da fogueira apenas contando histórias e apenas conversando ou jogando cartas e tendo um ambiente familiar. O que eu acho que é único fora de outros shows. Quando você filma nos estúdios e nos palcos, vai para os palcos e depois volta para casa, para sua família ou sua casa, e não se envolve dessa maneira. Então, para este programa, estamos meio que juntos o tempo todo durante as filmagens, o que eu acho que aumenta a profundidade do que o programa tem a oferecer.

ML: Ajuda a criar os personagens [when you] tenha essas conexões na tela e fora da tela.

DR: É incrível porque quando você está se conectando fora da tela, conhece todos esses artistas incríveis. Você também conhece uma maneira de desafiá-lo e de desafiá-lo. Assim, você pode trazer o melhor de você e ajudar a trazer o melhor de si. E isso também é realmente uma coisa bonita.

Eu acho que isso é apenas um crédito para Taylor Sheridan e o elenco e equipe que ele reuniu. Ele foi muito específico em querer as pessoas que ele queria, porque sabia o que esse programa tinha potencial para fazer. Ele conhecia a família que ele queria reunir. É uma coisa bonita ver que o público está respondendo ao trabalho duro.

ML: Partindo da ideia de desafios, você já era um cavaleiro quando conseguiu os dois Yellowstone e The Chickasaw Ranch. Houve algum desafio no que você teve a ver com os animais que foram um desafio para você?

DR: Eu podia andar a cavalo, mas não era um cowboy. Eu não estava em fazendas, pastoreando gado e todas essas outras coisas. Definitivamente foi uma transição. Em Chickasaw Rancher, você está a cavalo e está pastoreando gado, enquanto que, em Yellowstone, não estamos apenas pastoreando gado, mas estamos dialogando muito sobre os cavalos, vamos ter cenas de luta e cenas de batalha e todas essas cenas. Estamos correndo com cavalos selvagens e tudo isso. Quero dizer, é simplesmente uma coisa incrível.

Ser capaz de fazer parte disso e obter essas transições de como me lembro de andar a cavalo, até o que estou fazendo agora, tem sido incrível. Não só isso, mas [Taylor] também trouxe todos esses cowboys incríveis e todas essas pessoas incríveis que estão em rodeios. Ainda assim, até hoje, muitos de nossos dublês e outros artistas do show, quando não estão trabalhando no show, apenas voltam e fazem o circuito de rodeio. Então, estamos aprendendo com os melhores dos melhores ao fazer todas essas coisas diferentes. É um esporte, você sabe, eles são tão atléticos no que são capazes de fazer.

Sinto que não há nada que eu não possa fazer em um cavalo, algo que eu definitivamente não seria capaz de dizer há vários anos. É apenas mais uma ferramenta para poder colocar na bolsa de ferramentas – o que é incrível.

ML: Sei que as pessoas adoram ouvir histórias sobre atores que se relacionam com os cavalos que montam. Houve algum dos seus colegas de trabalho com quem você se deu bem?

DR: Para pessoas que não sabem muito sobre cavalos, são espíritos puros. Tudo o que você traz para eles é o tipo de coisa que eles vão incorporar. Então, da maneira que eu gosto de cavalos mais bem descritos, são como avatares. Você sabe, quando você se senta neles, eles meio que se conectam a você. Você precisa ter um comando. Eu diria que posso ter uma personalidade teimosa, se quiser.

Denim Richards nos bastidores de ‘Yellowstone ‘

Eu tenho o mesmo cavalo desde que penso, pelo menos no meio da primeira temporada, até as duas e três temporadas. Este lindo cavalo é chamado Colt. Ele é tão teimoso e obstinado. Então, entraremos em cena juntos, e será uma cena em que tudo o que precisamos fazer é subir e ficar aqui. É tudo o que temos que fazer. E então está tudo bem, ação, e ele simplesmente faz o que quer.

É muito engraçado para todo mundo ao nosso redor. Ainda assim, é irritante porque não é que eu não saiba o que estou fazendo, é apenas o fato da minha personalidade, a personalidade dele, nós apenas queremos batalhar. Mas não quero montar nenhum outro cavalo. É hilário porque você tem a sensação desse relacionamento simbiótico. Quando vocês meio que se trancam e entendem que é isso que o faz ir e é isso que me faz ir. Ele tem muita energia. Tem as coisas [that] Preciso fazer isso quando a câmera não está rolando para ajudá-lo a aproveitar essa energia, que é muito parecida com a minha.

Para as pessoas que assistiram ao programa desde o início, saberão exatamente do que estou falando. Tenho certeza de que se eles assistirem algumas cenas de perto, eles ficarão tipo: “Por que todos os outros cavalos estão perfeitamente imóveis e o cavalo de Denim está constantemente se movendo para frente e para trás?” É porque estamos tendo uma batalha naquele momento.

ML: E então você também está no Good Trouble como Elias, correto?

DR: Sim! Eu tive a oportunidade de ir no Freeform’s Good Trouble e interpreta o personagem Elijah. Novamente, [it was] outra experiência emocionante, porque nunca me imaginei fazendo parte da rede ou participando daquele programa. Todo mundo nesse show é tão incrível. Eu tinha ouvido falar de The Fosters antecipadamente. Mas aqui está o que atrai todo mundo – eu não assisto muito à televisão. Então, eu não sei muito sobre todos esses programas para os quais tenho audições. Mas quando eu era jovem, eu tinha ouvido falar sobre The Fosters, e eu sabia que era um spin-off de The Fosters.

Quando voltei de fora do estado, meu agente disse: “Tem esse novo programa, é incrível. É a segunda temporada e você vai interpretar esse personagem realmente, realmente único. ” Eu era como, “Oh, isso seria incrível e outro desafio.” Então, poder participar desse programa e ter a oportunidade de fazer parte de pessoas incríveis e de textos bonitos. [It was] apenas mais uma maneira de continuar colocando outro tipo de experiência no meu currículo e seguir em frente. Mas sim, tem sido incrível. No ano passado, foi uma bênção poder ter tantas experiências diferentes. E eu me sinto muito agradecido por ter sido autorizado a participar e participar do show com pessoas tão incríveis que já estão juntas há anos.

ML: Você acha que Elijah tem uma oportunidade de voltar na terceira temporada?

DR: Não faço ideia por causa da maneira como a saída de Elijah foi aberta. Mas, quem sabe, se eu tivesse que adivinhar, provavelmente diria que provavelmente duvido. Mas não quero que os fãs fiquem chateados com isso. Só estou sendo honesto, porque é tudo o que posso fazer.

Você sabe, muitas vezes, recebo pessoas que me enviam mensagens completamente do nada, e elas são como: “Eu odeio Elijah”. Mas eu sou uma boa pessoa! É meio interessante ver a resposta e [fans] apenas envie uma mensagem inesperada quando eles estiverem assistindo reprises. E eu sou assim há um ano!

Eles são como, “Eu sempre soube que você não era bom!” Eu estou tipo, espera quem? Eu como pessoa? Não? Ah, tudo bem. É algo que eu ainda não consegui me acostumar. É uma experiência incrível ver que é isso que alguns desses artistas sempre passam. As pessoas têm dificuldade em fazer a separação entre a pessoa real e o artista.

‘Good Trouble ‘/ crédito Freeform

ML: Sim! Quando eu estava pesquisando o personagem, me deparei com alguns muito posts interessantes sobre pessoas que odeio esse personagem.

DR: É engraçado porque tive pessoas que vieram até mim e elas disseram “Elijah” e eu sou “não” Você sabe, eles vão sentar lá, e vão aparecer quando eu fiz isso [as Elijah]. Eles dirão: “É por isso que eu sei que você não estava bem!”

E eu sou como, “Oh meu Deus! Eles não percebem que não estão falando com Elijah; eles estão conversando com Denim. Mas tudo bem, eu vou jogar junto com você. Você sabe, é legal, no entanto. É um testemunho da escrita do show e dos artistas e da atmosfera. [They] pode atrair os fãs e tê-los envolvidos dessa maneira é muito interessante. Era algo que eu não estava acostumado antes de ter essa experiência em Good Trouble.

ML: Então, o que você pode nos dizer sobre seu papel na O fazendeiro Chickasaw? Você filmou isso de volta em 2018, certo?

DR: Em algum momento, este filme será lançado! Estou empolgado para quando sair. Foi uma experiência incrível. Eu sempre tive um sonho, desde jovem, de poder participar de um filme ou programa em que tive a oportunidade de interpretar um personagem da vida real. Este foi o meu primeiro papel de co-protagonista em um longa-metragem.

Eu interpretei um personagem chamado Jack Brown, que na verdade era o primeiro contratador de Oklahoma. O filme o Chickasaw Rancher trata-se, essencialmente, desses nativos americanos – entre aspas – nativos americanos (porque esse é o nome que as pessoas deram a eles). Montford T. Johnson, sua família, Jack Brown, que é afro-americano, se unem para fazer esse sorteio gigante de gado. Eles fizeram, acho que foi um sorteio de gado de 400 milhas, que ocorreu em 1866.

Fomos capazes de filmar isso em Oklahoma. Foi uma experiência tão bonita ver tantos de nossos irmãos e irmãs nativos que puderam participar do filme e que eu sou capaz de compartilhar essa experiência com eles para interpretar um personagem da vida real.

Na vida real, tive a oportunidade de visitar o túmulo dele, que fica no meio do nada, onde ele e a esposa foram deitados para descansar. Houve um dia em que estávamos sentados no set, e um dos produtores apareceu [to me] e diz: “Ei, este é um dia de amigos e família”. E eu fiquei tipo, “Oh, isso é legal.” Eu não tenho filhos nem nada. Então, você sabe que todos podem trazer seus filhos. Mas eles disseram: “Não, não, este é um dia em que todos que serão os bastidores da cena serão todos descendentes de Montford T. Johnson e Jack Brown.

ML: Uau!

DR: A produção cinematográfica trouxe, de todo o país, todos esses descendentes desses dois homens e suas famílias. Foi uma experiência tão bonita. A bisneta de Jack Brown e sua bisneta vieram me ver. Eu estava com meu equipamento completo de Jack Brown, e eles bateram na porta, e eles disseram: “Ei, você sabe, os descendentes estão aqui e eles estão tão animados! Eles só querem saber se podem conhecê-lo.

Eu estava tipo, “Espere – eles querem me conhecer? Eu quero conhecê-los! Conseguindo vê-los no momento em que me viram … começaram a chorar! Eles eram como, “Você se parece exatamente com ele!” Foi uma experiência tão emocional, porque era algo que eu sempre sonhei em criança, que eles nunca souberam. Foi incrível para eles, porque eles sempre queriam que a história do avô fosse contada por causa do que ele fez.

‘The Chickasaw Rancher ‘/ crédito Chickasaw Nation Productions

[It was] uma coisa tão importante da qual ele fazia parte, e era algo que meio que foi varrido para debaixo do tapete na história. Para mim, era algo que me senti tão humilde por ter tido a oportunidade de fazer isso. Ainda assim, até hoje, é provavelmente a coisa mais significativa que fiz nas artes. Ser capaz de compartilhar essa história e também compartilhá-la com a família. Estou empolgado com o lançamento do filme para o mundo ver o que conseguimos fazer com este projeto.

ML: Isso é surpreendente. Isso me deu arrepios só de pensar nos descendentes que estavam lá!

DR: Esses tipos de experiências não acontecem com muita frequência. Como eu disse desde o começo, o Altíssimo [has] me abençoou de muitas maneiras para poder ter essas mesmas coisas, muito experiências únicas bem no início da minha vida. Onde muitas vezes, muitas dessas coisas podem levar uma vida inteira. Então eu me sinto tão abençoado.

Ver esta publicação no Instagram

Quando NÃO sabemos o que fizemos, é difícil ter orgulho de quem somos hoje! Muito do nosso HIStory foi despojado dos EUA, diluído e riscado até um simples momento no tempo! Infelizmente, esse “momento simples” no tempo se traduz em milhares de anos! Fui verdadeiramente abençoado pelo Altíssimo, juntamente com a nossa incrível equipe @truthbetoldproductions, para dirigir e co-escrever uma de nossas muitas histórias heróicas do nosso passado! O ZOO estará levando você a uma jornada emocional e espiritual. Você nunca viu algo assim e até agora os únicos que passavam por essa experiência eram nossos ancestrais. Espero que “O ZOOLÓGICO” ilumine, educe e entretenha você, mas o mais importante é que espero que isso nos leve a ter as conversas sobre NOSSA HISTÓRIA que precisamos desesperadamente ter! Isso é para os NOSSOS antepassados ​​e tudo o que veio antes deles. • • • • #yahawah #filme

Uma publicação compartilhada por Denim Richards (@denimrichards) em 19 de junho de 2020 às 10:56 PDT

ML: Mudando de direção um pouco, você está mergulhando neste mundo de escrita e direção com seu próprio filme. Então, qual foi a inspiração por trás O zoológico?

DR: Eu acho que era 2012 quando tudo começou. Sempre fui uma pessoa que, quando criança, nunca precisei de muitos amigos. Eu sempre amei criar histórias. Eu era a criança que toda vez que ia à casa da minha avó, ia a este lugar e, novamente, é para esta nova geração, porque não sei mais se elas existem – havia um lugar chamado Toys ” R ”Us. Haveria brinquedos lá, e você poderia comprá-los. Eu [would] obter essas figuras de ação e colocá-las em toda a casa e ter esses diferentes cenários.

À medida que envelhecia, sempre quis fazer isso. Eu sempre soube que, se alguma vez fosse abençoado com a oportunidade de me tornar um contador de histórias, seria capaz de encontrar histórias que nunca foram realmente contadas e poder contar a elas. Então, em 2012, eu estava assistindo o filme de Schindler Lista, e no final do filme, estava falando sobre como 7 milhões de judeus foram mortos durante esse tempo. Eu me perguntei se havia homens de cor ou homens e mulheres negros que fizessem parte de todas as atrocidades que estavam acontecendo naquele período.

Mais uma vez, o Altíssimo acabou de cair em mim. Eu era como, “Vamos apenas descer este buraco de coelho.” Comecei a cavar e pesquisar e, finalmente, depois de um mês de pesquisa – isso foi em 2012, agora é possível encontrá-lo em menos de meia hora. Mas finalmente encontrei um livro chamado Holocausto Negro da Alemanha. O livro mostrava uma foto desse negro sentado em uma caixa de leite. E lá estava, eu estava tipo, bem, é isso – eu meio que mergulhei nisso e queria criar uma história. E entao O zoológico é uma espécie de ramificação do meu filme original, que é Os Esquecidos, que será lançado depois que este filme for lançado.

O zoológico está falando sobre os experimentos que foram feitos com homens de cor durante o tempo da Alemanha nazista, onde você essencialmente levaria esses homens negros e os experimentaria. Eles testavam sua pele e, como o objetivo era durante todo esse tempo que tudo estava acontecendo durante a Segunda Guerra Mundial, houve também uma grande pilhagem na África. Isso faz parte da história que muitas pessoas desconhecem.

Novamente, isso é parte do que eu queria poder contar. Durante esse período na África, você tem todos esses países diferentes que estavam entrando nesses países na África e saqueando e matando homens e mulheres. Mas um dos problemas [is] que muitas das pessoas que estavam lá estavam [dealing with] o calor e todas essas doenças. Todas essas outras coisas que eles não conseguiram descobrir como as pessoas que se originaram lá estavam lidando com isso como se não fosse grande coisa, mas depois estavam morrendo. Então eles capturariam muitos desses homens e os experimentariam. Em seus experimentos, eles estavam tentando quebrar algum tipo de código genético para ver se conseguiam criar sua própria fórmula para poder entrar e conquistar a África melhor.

Por exemplo, durante o rei Leopoldo, que construiu aquele castelo gigante na Bélgica. Todo o castelo e tudo o que foi construído na Bélgica foram construídos nas minas de borracha do Congo, e houve mais de 10 milhões de homens, mulheres e crianças congoleses que foram mortos durante esse tempo.

Para mim, O zoológico é uma oportunidade de conversar sobre esses tipos de histórias e poder iniciar um diálogo não apenas para compartilhar com o mundo, mas para entendermos qual é a nossa outra história. Antes de todas essas outras coisas em 1619, chegando em Jamestown, Virgínia, acorrentadas antes de a África ser uma meca, nós éramos reis e rainhas. Nós éramos inventores, cientistas e todas essas coisas incríveis. Esta é apenas uma oportunidade para expor essas informações, mas também para ajudar a iniciar esse diálogo.

ML: Isso é notável. Sou historiador e nunca soube desse período da história. Então, depois de ler as coisas sobre o seu filme, comecei a pesquisá-lo. Eu fiquei tipo, “Por que isso não é ensinado? Por que isso não está prontamente disponível? ”

DR: Eu sempre digo que sou artista, e ser artista é o que faço, mas não é quem eu sou. Faz parte das bênçãos que o Altíssimo me deu para poder iniciar um tipo diferente de diálogo.

Sempre que tenho a oportunidade de colocar minha caneta no papel ou poder colocar meu dinheiro em algo, quero que seja algo que seja edificante para a nossa comunidade. Muito disso é [that] simplesmente não conhecemos nossa história e porque não conhecemos nossa história, é por isso que a história sempre se repete. Ele está sempre sendo lavado ou ficando meio diluído. As pessoas muitas vezes não querem ter conversas difíceis por causa do que eu gosto de chamar: “Eles querem o açúcar nos ouvidos”.

E essa não é realmente a minha personalidade. Eu apenas digo a verdade e não é realmente meu trabalho fazer você se sentir um pouco de maneira sobre isso. É como se isso fosse exatamente o que é. Então, para poder colocar O zoológico, com minha equipe incrível, é minha primeira oportunidade de realmente começar a ter essa conversa com o mundo. Especially to teach our men, women, and children of color — this is not only our black men and women, but this is also the Native Americans and the Hispanic community. We all came over during this transatlantic slave trade. The only difference was that we all just got dropped off in different places. These are all things that in history we don’t learn about.

It’s really important for us to understand where we came from and what we were doing beforehand so that we can understand the world much more than what our circumstances often dictate around us.

ML: So are any of the characters in The Zoo going to also be in The Forgotten Ones? Or is it going to be a different kind of side to the story?

DR: Yeah, I’m hoping that every single person that has been in The Zoo will also be a part of the bigger story of The Forgotten Ones. That is definitely the goal. I’m going to do everything within my power to make sure that can happen. Whenever you’re dealing with industry there’s always these loopholes and all of these things that you have to jump through. I feel like this is a story that is so important.

That’s why I’m so excited for the short film to be coming out. People are going to be able to get a really nice taste of what this is going to be about [when the trailer drops].

Like you were saying, a lot of us thought that we knew a lot about history and assumed that we knew everything about history. We’re kind of bringing up this thing where it’s like, “What the heck? We didn’t even know about this.”

The reason why I called it The Zoo was because, even here in America, we had these actual, physical zoos, where they were just like museums where they were taking people — men, women, and children from Africa. And they built exactly what you would imagine a museum being like, but it was a zoo.

They would recreate what the atmosphere in Africa would be, and people would buy tickets to go and watch them be in whatever their environment would be. People would just go and buy tickets to watch people of color be the way that they are, and so this is part of what The Zoo is about.

For us to have these dialogues that we are all claiming that we want to have, we also have to be willing to go back and acknowledge how all these things started.

Our kings and queens are running around, and they have no idea what their history is. They understand what they came from, but they came from much more than just being here in chains and being pimped out. What I would say [is that] we came from greatness, and there were so many things that we have done, there’s so much beauty and until we know that we can’t ever evolve in the way that we want to.

This is just going to be another offshoot, and I’m hoping that when people see this film, and whoever decides to become a part of the bigger film, I hope that they will allow us to be able to kind of keep the same symbiotic energy moving forward.

ML: This sounds like it’s going to be an incredible project. You also wrote a book called Mastering Your Mind.

DR: Yeah, during COVID, during the shutdown. I pray and meditate a lot. Usually, on social media, like Twitter or Facebook, I’ll post motivational quotes that drop into me. I knew that so many people were going to be affected, with job losses and uncertainty.

So why not try to write something motivational to help people get back into themselves and figure out what they wanted to do with their lives? I believe, oftentimes, that the people in our lives dictate the things we do in our regular lives. We will do things that we maybe didn’t want to do just to appease people or narratives.

Why not have something like a daily motivational to help people further dig into themselves? I wanted to create something to help you empower yourself and the people around you.

ML: And you choose Operation Underground Railroad as the non-profit for the proceeds to go to.

DR: It’s a phenomenal organization that is dedicated to eradicating child sex trafficking. This is something we don’t talk about in the entertainment industry. We don’t want to have this conversation in general. It’s uncomfortable. I’m not the person who gives sugar to your ears; I shoot it straight. It doesn’t matter if it’s a difficult conversation — it’s happening. It’s one of the biggest businesses in the world. I wanted it to be a win-win.

These amazing people have stopped their lives to infiltrate child trafficking rings and bring the traffickers to justice, but also rescue these children and give them a better life. These kids are getting taken from all these different places around the world and being thrust into places where no one knows who they are or where they’re from. There are not many organizations doing this. The book is only ten dollars. I never made this to make money. All the proceeds go to an amazing organization that is dedicated to protecting our youth. It’s the most important thing.

ML: It sounds like an amazing cause. Now, I always try to wrap up interviews with a couple of fun questions. So what is something you always have to have in your trailer?

DR: I am very holistic with a lot of things, so one of the things that I always have to have is lavender oil, eucalyptus oil, and peppermint oil. I put it on every single time before I leave the trailer. It’s really weird because everything is thrown off if I don’t go through this ritual of putting on these different oils. That’s the trio I have to have in my trailer.

ML: I have always joked that I got into acting because I love set catering. What’s the best meal you’ve had on the set?

DR: Oh, man! That’s hard; there’s been a lot. I’ll do a before and after. I’ve been a vegan for a year. Before I was a vegan, we had surf and turf: steak and lobster. Everything was buttery and juicy. We have some of the best catering now because I’m a vegan. All the food I love… “Bro, stop. It’s brussel sprouts!” There are these balsamic glazed brussel sprouts. I love vegetables. The before is much more exciting, just edit out the after!

ML: That’s a great answer! What you always have to grab at crafty? Hopefully, they have plenty of vegan options.

DR: They do! It’s always funny because I know when I say this, I already know how people are going to act. But if the cast and crew listened to this, they’d know what I was going to say. Oftentimes, we’ll do this long scene and then stop for the turnaround. Crafty will have made this giant pot of jambalaya. You can smell it. And I’m over here sitting in my chair, scrunching on seaweed and green tea. I eat a lot of seaweed and bananas. It’s very strange, but the good thing is I’m not hard to please. Those are my two things. I’m a big green tea drinker.

ML: Have you got into the sparkling water debate? I know out here in the Mid-Atlantic Region we have a lot of LaCroix sets.

DR: We’re a big LaCroix set. I used to drink sparkling water, like San Pellegrino, but then when LaCroix came around, it was like no one had ever known sparkling water existed. On set, we have tubs of LaCroix everywhere. Isso é a coisa. I don’t drink LaCroix; if I want something sparkling or fermented, I drink kombucha. But our set is a imenso LaCroix.

ML: Então, Yellowstone is the best set because I love LaCroix.

DR: We have giant coolers! Sometimes when we’re filming in the summertime, we have a huge crew, and they’re working their tails off; everyone is pounding LaCroix. There’s never an emergency on set unless we run out of LaCroix.

ML: What is something you always have to make sure you have with you on set?

DR: I have a travel kit. It has all my essentials in it. Usually, when I’m on set, I usually have those. What else do I take? That’s the major thing. I’m trying to get better about it, but I’ll take an extended battery pack. Sometimes when we’re filming in the middle of nowhere, there’s no cell service, so your phone will just be trying to establish a connection, and your battery will just burn. And you’re there for thirteen hours. I’ll take that to listen to music while we’re waiting for turn arounds.

Usually, it’s the essential oils, battery packs, and headphones. As a novelty, I always bring a book, but I never read the book. It just becomes an added thing I have to be responsible for. I’m the type of person; I can’t handle multiple objects on my person because I will lose everything. I need to stop doing the book thing. I never read the book, I lose the book, and then on the weekends, I have to go and repurchase the book. I’m getting better.

ML: So, those are your essentials.

DR: My essential oils, if you will.

ML: I like that. That was a good one. Thank you so much for taking the time to talk with me today.

I look forward to your trailer dropping.

DR: Obrigado!

You can follow Denim Richards on Facebook, Twitter, and Instagram.

The post Interview: Denim Richards Discusses ‘Yellowstone’ and Delving into Untold Black Stories with ‘The Zoo’ appeared first on Your Money Geek.



Linha ilimitada da Sprint conosco: adicione linha gratuitamente + terças-feiras da T-Mobile


Se você é um cliente atual da Sprint, ele está executando uma promoção chamada Linha Ilimitada, onde você pode adicionar uma linha extra sem cobrança mensal, embora ainda esteja sujeito aos impostos e taxas mensais (aproximadamente US $ 5 a US $ 10 por mês, dependendo impostos locais). Termos completos após o login, mas aqui estão alguns detalhes de qualificação:

Quem é elegível para a promoção Unlimited Line On Us?

Clientes existentes da Sprint que:
– Juntou-se à Sprint antes de 17/6/2020.
– Tenha um plano elegível.
– Tenha pelo menos uma linha de voz ativa.
– São elegíveis para adicionar uma linha de serviço em sua conta.

Você pode trazer seu próprio dispositivo ou apenas reservar uma linha para uso futuro (embora eles comecem a cobrar impostos). A cobrança mensal do plano de serviço da linha permanece em US $ 0 / mês. durante toda a vida útil da linha e exige que você mantenha todas as linhas telefônicas atuais em sua conta ativas até 30 de junho de 2021. Não está claro se as pessoas que fazem parte do plano Sprint Unlimited Kickstart de US $ 35 são elegíveis para esta promoção.

Além disso, os clientes da Sprint podem participar em breve do programa de benefícios da T-Mobile Tuesday:

Os clientes da Sprint simplesmente precisam fazer o download do aplicativo T-Mobile Terça-feira na iOS App Store ou Google Play Store e registrar seu número a partir da terça-feira, 23 de junho.

Eu vejo esses dois como movimentos preventivos para impedir que os clientes da Sprint saltem do navio antes de serem totalmente fundidos com a T-Mobile.


“O conteúdo editorial aqui não é fornecido por nenhuma das empresas mencionadas e não foi revisado, aprovado ou endossado por nenhuma dessas entidades. As opiniões expressas aqui são apenas do autor. Este e-mail pode conter links através dos quais somos compensados ​​quando você clica ou é aprovado para ofertas. ”

Sprint Unlimited Line On Us: adicione linha gratuitamente + terças-feiras T-Mobile no My Money Blog.


Direitos autorais © 2019 MyMoneyBlog.com. Todos os direitos reservados. Não reorganize sem permissão.